Para favorecer o Atlético – e, indiretamente, Coritiba e Paraná -, a Lei de Zoneamento de Curitiba sofrerá mudanças em breve. A prefeitura enviaria uma mensagem à Câmara dos Vereadores criando benefícios para as chamadas zonas especiais de esporte, o que ampliaria o Potencial Construtivo da Arena e também do Couto Pereira e da Vila Capanema (sem contar o Pinheirão, local onde pode ser construída a Arena Paratiba).

Assim, ao concluir a Arena, o Atlético terá um “crédito” maior em potencial construtivo para amortizar o empréstimo de R$ 60 milhões que será pedido ao BNDES para as obras.

Esse dinheiro se somaria aos R$ 30 milhões que o próprio Furacão investiria. Os recursos da transferência de Potencial Construtivo seriam usados exclusivamente para pagar a conta, e a prefeitura se comprometeria a indicar o Rubro-Negro para construtores que desejam adquirir o potencial.