O esperado cadastramento de torcidas organizadas de Curitiba por sistema biométrico já vem sendo anunciado desde o final do ano passado, mas apenas hoje dará novo passo para sua concretização – ainda sem data marcada.

Um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) será assinado em conjunto pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e representantes das principais facções do Trio de Ferro.

As conversas entre as partes começaram pouco depois do incidente do dia 6 de dezembro de 2009, quando torcedores do Coritiba promoveram uma “batalha campal” no Couto Pereira.

No entanto, apesar de o MP-PR ter inicialmente anunciado que as organizadas do Coxa puxariam a fila do cadastramento, o fato de a diretoria do clube não reconhecer as facções pode trazer uma mudança de planos.

Agora já se acena com a possibilidade de a Fúria Independente, do Paraná Clube, ser a primeira regularizada pelo sistema imposto pelo MP-PR. “Há um bom tempo temos reuniões com o Ministério Público. Já estamos implantando as carteirinhas com chip, onde constam todos os dados dos associados. O objetivo é que se coloque uma catraca especial no local onde fica a organizada, para que apenas sócios cadastrados possam ter acesso. Apenas lá haverá permissão para entrar com os materiais da torcida”, explicou o secretário da Fúria, Leandro Arruda.