Palermo, Itália – Os principais sites europeus de automobilismo deram destaque, ontem, ao tempo obtido por Michael Schumacher, de manhã, no Circuito Ricardo Tormo, em Valência, Espanha, ainda com a Ferrari do ano passado, 1min09s429, novo recorde. A melhor marca, até então, era de David Coulthard, com o modelo 2004 da McLaren, MP4/19, dia 22, 1min09s697. O resultado parecia ser uma resposta da Ferrari às críticas de mudar muito pouco o modelo F2004 em relação ao F2003-GA: se com o carro velho o time foi mais veloz que a nova McLaren, o que o novo não fará então? Mas no período da tarde, Juan Pablo Montoya estabeleceu 1min09s306, tempo bem mais significativo porque foi com a nova Williams FW26.

O tempo de Schumacher, na realidade, não surpreende. Com o modelo de 2003, o alemão contou com um motor capaz de lhe dar cerca de mil rpm a mais que as equipes que trabalham com carros 2004. É bom lembrar que, este ano, será permitido apenas um motor para todo o fim de semana de competição. Se for necessária sua substituição, o piloto perderá dez posições no grid. A versão 2004 dos motores, portanto, por visarem maior durabilidade, comprometeram um pouco o seu desempenho.

Além disso, a Ferrari F2003-GA não tem a tomada de ar dentro das novas restrições aerodinâmicas impostas pelo regulamento deste ano. Esse é mais um fator que lhe dá alguns cavalos a mais de potência. Não é tudo, o aerofólio traseiro da F2003-GA é composto por três superfícies alares em vez de duas, como é obrigado nesta temporada, o que também lhe permite alguns quilômetros por hora a mais de velocidade nas curvas. O tempo excepcional de Schumacher, como se vê, ainda que cheio de méritos, deve ser analisado tendo em mente todos esses fatores a favor. O que irá contar mesmo para se confrontar os novos McLaren e Williams com a Ferrari será quando o F2004 for para a pista, possivelmente sábado, em Fiorano.

Mais importante ainda que o resultado de Schumacher, ontem, com a velha Ferrari, foram os tempos registrados pelos pilotos da Williams, Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher, ambos mais rápidos igualmente que o recorde de Coulthard e com o modelo FW26, de 2004. O colombiano fez 1min09s306 (59 voltas) e Ralf, 1min09s678 (82), terceiro. Três brasileiros participaram dos treinos: Antonio Pizzonia, que voltou a ser piloto de testes da Williams, marcou o 5.º tempo com o modelo híbrido, 1min10s153 (85), Ricardo Zonta, com a Toyota também híbrida, o sexto, 1min10s339 (84) e Felipe Massa, com a nova Sauber C23, o décimo, 1min10s631 (53).