Nas quartas de final da Copa do Mundo contra o Brasil, a Colômbia não contará com a presença de um de seus mais ilustres torcedores. Em final de recuperação, o atacante colombiano Falcao García não irá ao Castelão, nesta sexta-feira, para assistir ao confronto histórico da sua seleção. A decisão, no entanto, não foi dele, mas do Monaco, time que defende na França.

“Não, (Falcao) não vai ao Brasil. É hora de se preparar para a nova temporada”, afirmou Vadim Vasyliev, vice-presidente do clube francês, lembrando que o badalado artilheiro colombiano se recupera de cirurgia no joelho, realizada em janeiro, que lhe tirou a chance de disputar a Copa – foi cortado poucos dias antes do início da competição.

Cortado da delegação colombiana, Falcao García se manteve perto do grupo no começo da Copa e chegou a ir ao estádio para torcer pelos companheiros. Além disso, ele tratou de várias questões nos bastidores. O atacante, grande esperança do técnico José Pekerman antes da competição, negociou com a Federação Colombiana de Futebol a vinda dos familiares dos jogadores ao Brasil e ainda assumiu as tratativas com relação à premiação dos atletas.

Impedido por seu clube, Falcao García vai permanecer em Mônaco – onde está desde segunda-feira – para continuar com o plano de treinamentos. O jogador de 28 anos está praticamente recuperado da lesão no ligamento cruzado do joelho que o tirou do Mundial e não deve ser problema para o início da temporada europeia.