Flávio, o último remanescente de 2003.

O desempenho do Paraná Clube no último Brasileirão deu novo ânimo ao seu torcedor. Na mesma medida, o “desmanche” deixou dúvidas e incertezas nas cabeças dos mesmos. O Paranaense-2004, então, é uma chance para que o clube resgate sua imagem no limite de suas fronteiras, apagando a péssima recordação do ano passado. Na última edição do estadual, o Tricolor só se livrou do rebaixamento na última rodada, num melancólico empate com a Portuguesa Londrinense, ficando na 14.ª colocação (a pior de toda a sua história).

A diretoria, sem recursos para segurar os atletas que conduziram o Paraná à 10.ª posição no nacional, partiu para a reconstrução do time. Contratou “por atacado” e agora torce pelo encaixe das peças o quanto antes. Entre os reforços, jogadores em busca de projeção, como o meia Alex e o atacante Ednaldo, e atletas que tentam uma guinada em suas carreiras, como os laterais Alcir e Marcos Lucas, o meia Jean Carlo e o zagueiro Gélson Baresi. Apostando no “bom e barato”, a meta é ao menos chegar nas primeiras colocações para assegurar vaga na Copa do Brasil.

O campeonato também será um grande laboratório. O técnico Saulo de Freitas irá utilizar a primeira fase da competição para testar muitos garotos revelados nas categorias de base. “Não vamos encher a prateleira e depois reformular tudo para o Brasileiro”, explicou o vice de futebol José Domingos. “Temos que sentir o potencial destes meninos e eventualmente buscar as peças necessárias no momento certo.” O regulamento da competição permite esse tipo de ação, uma vez que novos contratos podem ser registrados até a véspera da largada das semifinais.

A situação atípica do Paraná se deve a um erro estrutural. Sem investir nas categorias de base e perdendo muitos jogadores na Justiça do Trabalho – Dennys, Waldir, Flávio Guilherme, Émerson e Fernando Miguel, apenas nos últimos meses – o clube ficou sem “material humano” no início da temporada. Enquanto os juniores estavam na Copa São Paulo, menos de dez atletas trabalhavam na pré-temporada. “Tivemos que driblar mais essa dificuldade. O tempo de preparação não é o ideal, mas é preciso superar os obstáculos”, lamentou Saulo.

O Tricolor não conquista um título paranaense desde 1997. O jejum incomoda, mas os próprios dirigentes sabem que o mais importante, no momento, é o resgate da estrutura do departamento de futebol. Para a estratégia ser vitoriosa, garotos como Fernando Lombardi, César Romero, Éverton e Vandinho terão que, obrigatoriamente, deixar de ser promessas. A estréia será contra o Beltrão, no Anilado.

Tigre no ano da afirmação

A história de Saulo de Freitas se confunde com a própria história do Paraná Clube. Ele continua sendo o maior artilheiro do Tricolor, com 104 gols marcados. Após “pendurar as chuteiras” precocemente (devido a sucessivas cirurgias na coluna), deu início a uma nova fase em sua vida. Nunca escondeu, mesmo quando balançava as redes pelo Brasil afora, a ambição de um dia ser técnico de futebol.

Começou como treinador de atacantes, passou a auxiliar técnico (com uma rápida passagem no cargo principal) e conseguiu a confiança da diretoria no ano passado, conduzindo o Paraná em sua melhor campanha em um Brasileirão. O 10.º lugar e a vaga na Copa Sul-Americana credenciaram o treinador a renovar contrato e assumir a responsabilidade de reorganizar o time. Desta vez, a sua missão será mais “espinhosa”.

Saulo de Freitas terá que formar um novo time. Só a astúcia demonstrada no ano passado, quando soube redefinir a função de cada atleta no time e colocar o Paraná nos eixos, não será suficiente. Terá que ter ainda precisão na escolha das peças certas (em meio a muitos garotos recém-promovidos nas categorias de base) e sorte na seqüência de jogos, superando a falta de entrosamento com muito diálogo. Afinal, precisão e sorte sempre foram pontos fortes na vida do “Tigre”.

Elenco do Paraná para 2004

JOGADOR

IDADE

Goleiros

Darci

24

Bader

20

Flávio

33

Laterais

Erivélton

20

Ânderson

20

Alcir

26

Marcos Lucas

27

Zagueiros

Fernando Lombardi

21

Gélson Baresi

29

Ânderson Carvalho

24

Juliano

21

João Vítor

20

Meias

João Paulo

19

César Romero

23

Goiano

23

Wiliam

20

Éverton César

20

Tiago Nogueira

20

Éverton

21

Alex

21

Jean Carlo

32

Atacantes

Vandinho

18

Washington

20

Wellington

20

Ednaldo

23