Eleito presidente do Santos no último sábado para os próximos três anos, Modesto Roma Júnior deu poucas dicas sobre quais serão os seus primeiros passos no comando do clube. O dirigente, então, não quis confirmar as permanências do técnico Enderson Moreira e do centroavante Leandro Damião para a próxima temporada.

“Não é o momento de discutir isso. Vocês sempre criticam quando uma diretoria contrata ou demite um técnico por telefone e nós não vamos fazer isso na minha gestão”, afirmou Modesto, que se encontrará nesta segunda-feira com o atual presidente Odílio Rodrigues para compreender em detalhes a atual situação do Santos.

O presidente eleito adotou tom parecido ao ser questionado sobre a situação de Leandro Damião no Santos. Os altos custos da contratação do atacante e o seu baixo rendimento em campo são alvo de críticas constantes. Além disso, o Cruzeiro estaria interessado no jogador. “Eu não vou falar sobre Leandro Damião, Lucas Lima ou outro jogador. Agora o momento é de trabalhar”, disse. “Não descarto a negociação dele como a de qualquer outro atleta”, completou.

Em uma eleição envolvendo cinco candidatos, Modesto Roma Júnior foi eleito ao receber 1.321 votos, superando José Carlos Peres (1.139 votos), Fernando Silva (1.077), Orlando Rollo (855) e Nabil Khaznadar (735).

“O pleito acabou. Somos todos Santos. Viva o Santos. É hora de arregaçar as mangas. Agradeço a todos pela campanha positiva de alto nível e pertinente. Esta é uma eleição que marca a história do Santos”, celebrou.