Foto: Valquir Aureliano

Elton entra hoje de titular sabendo do risco de o time ser eliminado.

Libertadores, só daqui a 17 dias. Até lá, o Paraná Clube esquece momentaneamente a maior empreitada de sua história e volta os olhos para o campeonato paranaense.

E a situação, embora reversível, não é nada confortável -o tricolor começa a rodada em 10.º lugar e busca recuperar o tempo perdido a partir do jogo contra o Rio Branco, hoje, às 16h, na Vila Capanema. E tenta melhorar o desempenho da equipe B.

Desde o clássico com o Coritiba, seu sexto compromisso no estadual, o tricolor lança apenas reservas e juniores no torneio. Diante do Paranavaí, na rodada passada, nem mesmo o técnico Zetti esteve presente. O resultado da correria, causada pelo calendário apertado, foi negativo – duas derrotas e dois empates, que tiraram a equipe das oito primeiras colocações do paranaense.

Embora o título estadual esteja entre os objetivos do clube, a comissão técnica não se desliga do foco principal: a Libertadores. Para preservar os titulares, cansados por sucessivos jogos e viagens, o técnico Zetti escala somente dois jogadores que começaram a partida contra o Real Potosí, na quarta-feira: o zagueiro João Paulo e o volante Goiano. ?É preciso passar o estresse da Libertadores. Depois vamos administrando, mas sabendo que é preciso subir na tabela do estadual?, falou.

Para derrubar o Leão – que no estadual já derrotou Atlético e Coritiba na capital – , Zetti lança novatos que se destacaram em jogos anteriores pelo time B, como os meias Elton e Everton. ?Somos os atuais campeões e nossa responsabilidade é maior. Faltam poucos jogos e temos que acordar, ou seremos eliminados?, alertou Elton.

Para o técnico, o ideal seria vencer todos os próximos jogos para antecipar a classificação. ?Isso também seria importante para poupar os jogadores nas últimas rodadas?, diz o técnico, sabendo que a despedida da primeira fase do paranaense será contra o Adap Galo, em Maringá, no dia 11 de abril – três dias do próximo duelo pela Libertadores, contra o Flamengo, na Vila Capanema. A vantagem é que os cinco próximos compromissos serão em Curitiba – quatro na Vila Capanema e outro no Pinheirão-, com mando da Portuguesa Londrinense.

Saulo agora está do outro lado

O Tigre reencontra hoje o palco de suas maiores conquistas. Principal goleador da história do Paraná Clube, Saulo enfrenta hoje o ex-clube pela primeira vez na condição de técnico, defendendo o Rio Branco. Mas, também dividido com outra competição, convive com vários desfalques.

O técnico, que marcou seu nome na história tricolor ao marcar 104 gols entre 1991 e 1996, enfrenta o Paraná no meio de uma competição inédita para o Rio Branco. A equipe parnanguara disputa pela primeira vez a Copa do Brasil – a estréia foi quarta-feira, um empate em 1×1 em casa, com o Avaí. A partida de volta será na próxima quarta, em Florianópolis.

Pensando da competição nacional, Saulo deve poupar o lateral-esquerdo Cleomir e o meia-atacante Ratinho contra o tricolor. ?Se enfrentassem o Paraná, corriam risco de não jogar em Florianópolis. Saulo optou pela competição mais importante?, explicou o supervisor do Leão, Abílio Bezerra.

Elvis substitui Cleomir e o lateral-direito Baiano deve ser improvisado no meio-campo. No ataque, Saulo deve manter Massaro, que veio do Tupi de Juiz de Fora (MG) e estreou na rodada passada, contra o Engenheiro Beltrão. Já o zagueiro Leonardo cumpre suspensão automática e dá lugar a Sérgio.

CAMPEONATO PARANAENSE

1ª fase – 12ª rodada

PARANÁ CLUBE x RIO BRANCO

Paraná

Marcos Leandro; Alex, João Paulo, João Vítor e Digão; Goiano, Felipe Alves, Elton e Everton; Vinícius Pacheco e Lima.

Técnico: Zetti

Rio Branco

Válter; Tierson, Sérgio, Alan e Elvis; Fábio Garcia, Paulo Augusto, Mini e Baiano; Roberto e Massaro.

Técnico: Saulo de Freitas

Súmula

Local: Vila Capanema

Horário: 16h

Árbitro: Edivaldo Elias da Silva

Auxiliares: Sérgio Aparecido Alesio e Adair Carlos Mondini