Milão – O Milan deu ontem um presente para a Juventus: empatou em casa com o Palermo por 3 a 3 e entregou o título do Campeonato Italiano ao time de Turim – que jogará amanhã contra o Livorno, fora de casa.

A diferença entre os dois times é de quatro pontos (82 a 78) e o Milan só tem mais um jogo pela frente – contra a Udinese fora de casa. É o 28.º scudetto da história da Juve.

Estava na cara que o time de Milão só pensava na final da Liga dos Campeões da Europa, que disputará quarta-feira contra o Liverpool, em Istambul, na Turquia. Além de o jogo ter sido antecipado para ontem a fim de dar à equipe mais tempo para descansar para a final, o técnico Carlo Ancelotti escalou apenas um titular – o atacante argentino Crespo – para não correr o risco de perder alguém por contusão.

O volante reserva Ambrosini, autor do gol contra o PSV na Holanda que garantiu a classificação para a decisão da Liga dos Campeões, já está vetado por causa de uma lesão muscular na coxa direita.

Ancelotti não levou os titulares nem para o banco. Os únicos nomes conhecidos na reserva eram o atacante Inzaghi e o goleiro Fiori. O zagueiro Digão (irmão de Kaká) e quatro companheiros da equipe de juniores ficaram à disposição do treinador. O ?gol do título? foi marcado pelo meio-campista Barone, do Palermo, aos 34 minutos do segundo tempo. O Milan vencia por 3 a 1 até dois minutos antes – com dois gols de Serginho e um do dinamarquês Tomasson.

Como os jogadores, dirigentes e comissão técnica da Juventus estão sem falar com a imprensa há três semanas, não houve comentários sobre a conquista.

O título colocou o técnico Fabio Capello como o primeiro a ganhar o Campeonato Italiano dirigindo times de três cidades: Milan (quatro vezes), Roma e Juventus. Além disso, foi campeão espanhol pelo Real Madrid na temporada 96/97.

Foi o primeiro título de Émerson em Turim e seu segundo na Itália – ganhou pela Roma em 2000/2001, também dirigido por Capello. Ele tornou-se o quarto brasileiro a ser campeão italiano pela Juve. Os três primeiros foram Sernagiotto (1934 e 1935), Chinesinho (1967) e Altafini, o Mazzola (1972/1973 e 1974/1975).