O brasileiro Gabriel Medina tem contado as horas para voltar à disputa do Pipe Masters. Ele só entrou no mar uma vez para competir, venceu a sua bateria, saltou para a terceira fase e depois disso não surfou mais na etapa, apenas nos treinamentos. Como existe uma possibilidade de a competição retornar nesta quinta-feira, o surfista está tendo de lidar com a ansiedade.

Para Charles Saldanha, pai e técnico do atleta, é normal ter essa ansiedade, mas ele está fazendo um trabalho psicológico no garoto para lidar com o momento de espera. “Ele está com energia sobrando, conseguiu acumular bastante, então descarrega isso na água”, explicou Charles, que garante que o filho está pronto para a disputa. “Ele sempre entra quente na bateria. O esporte é isso”, disse.

Nesta quarta, o menino de Maresias treinou mais uma vez e se preparou para a disputa. Ele lidera o ranking mundial com uma certa folga sobre o australiano Mick Fanning e o norte-americano Kelly Slater, mas sabe que não pode tropeçar na terceira fase, contra o havaiano Dusty Payne, para continuar com boas chances de ser o primeiro brasileiro campeão do mundo na elite do surfe.