O volante Javier Mascherano declarou a um tribunal nesta quinta-feira que não pagou corretamente seus impostos na Espanha depois que trocou o Liverpool pelo Barcelona. O jogador argentino admitiu em um tribunal de Barcelona que deixou de pagar quase 1,5 milhão de euros (quase R$ 5,9 milhões) em impostos relativos aos anos 2011 e 2012.

Mascherano, que defende o Barcelona desde 2010, foi acusado pela agência tributária da Espanha de ocultar parte do que ganhou em direitos de imagem durante esses dois anos. A assessoria de imprensa do tribunal disse que o jogador fez um acordo para pagar a quantia que devia.

Com a admissão de Mascherano, os promotores e os advogados do jogador devem fechar um acordo e oficializá-lo, evitando que Mascherano enfrente um julgamento. Nesta quinta, o argentino passou apenas alguns minutos na corte e não foi questionado pelos procuradores.

O defensor não é o único jogador do Barcelona alvo da administração fiscal da Espanha recentemente. Lionel Messi e seu pai provavelmente vão ser julgados por fraude fiscal. Eles negaram qualquer irregularidade.

Um tribunal de Madri está avaliando uma ação judicial que acusa o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell de sonegação de impostos após apropriação indevida de fundos para esconder o custo da transferência para adquirir o atacante brasileiro Neymar em 2013.

Neymar, por sua vez, teve alguns de seus bens congelados no Brasil por causa de

acusações de fraude fiscal. O atacante, de 23 anos, também é alvo das autoridades espanholas sobre irregularidades na sua transferência para o Barcelona.

A administração fiscal da Espanha também está investigando suposta sonegação de impostos do volante Xabi Alonso em 2010, quando ainda ele jogava pelo Real Madrid – em 2014, se transferiu para o Bayern de Munique.