Assim como aconteceu com o atacante Keirrison, que avisou que vai assinar com a Traffic e não fica após o fim do contrato em abril, o meia Marlos também poderá seguir o mesmo caminho. Em dezembro, o jogador tem o direito de assinar um pré-contrato com quem quiser, assim como vai fazer o K9. No entanto, ele garante que quer ficar no Alto da Glória para o ano do centenário do Coritiba. O problema é que a direção do clube e os representantes do atleta, Juan Figer e filhos, não chegaram a um acerto. Mesmo assim, Marlos espera acertar a renovação o mais rápido possível para continuar atuando pelo Alviverde.

“Eu estou com a cabeça voltada para o Coritiba, que é um clube onde eu estou, que eu gosto, onde eu quero ficar. A gente sabe que tem o centenário do clube e eu tenho vontade de jogar. Quero ficar para o centenário e vamos ver o que o meu procurador e o Coritiba resolvem nessa situação”, avisa o meia. Durante o ano ele rompeu o acerto que tinha com Serginho Prestes (atualmente cuidando das categorias de base do Avaí) e acertou com Juan Figer. “Ele que está cuidando das minhas coisas agora. Eles estão conversando e acredito que essa semana ou na outra já se resolva alguma coisa”, projeta.

Para ele, a possibilidade de assinar um pré-contrato em dezembro com outro clube não está sendo cogitada. “Isso é verdade, mas eu estou com a minha cabeça fora dessa possibilidade e acredito que renovar o meu contrato seria uma boa idéia”, aponta. E como estaria esse acerto? “Não avançou”, revela Homero Halila, diretor de futebol do Coxa. De acordo com ele, algumas conversas estão em andamento com jogadores como Marlos e outros mais, mas novidades, se acontecer alguma, só a partir desta semana. No momento, o Alviverde detém 60% dos direitos econômicos e os 40% restantes pertencem ao jogador e seus agentes.