O torcedor palmeirense, que tem em Marcos um dos maiores ídolos da história do clube, deverá ter poucas oportunidades de voltar a ver o goleiro em campo antes de sua aposentadoria. Em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta terça-feira, o jogador revelou uma luta contra o corpo para continuar jogando até o final do ano, garantiu que uma “sequência longa é impossível” e revelou ter perdido o prazer em jogar.

“Eu tenho artrose no joelho, ele não ficar bom, isso é público e notório. Agora eu estou tentando ver se consigo chegar até o final do ano. Estou tratando. Minha intenção é, quem sabe a semana que vem, estar à disposição para voltar a treinar. Ficar 100%, voltar a jogar uma sequência, todo mundo já sabe que está descartado. Por causa de dor, não por vontade. Até sonho que estou jogando. Tenho vontade de jogar, mas as dores atrapalham demais”, revelou o goleiro.

Marcos atuou pouco na temporada. O Palmeiras entrou em campo 15 vezes. Ele, só três. “Quando você fica muito tempo no departamento médico, você fica parecendo chinelinho, parece que está acomodado ali. E eu estou brigando mais uma vez para voltar. Os médicos me deram uma esperança de que dá pra voltar e jogar algumas partidas até o final do ano, então eu estou nessa esperança de voltar a jogar algumas partidas”, disse.

O goleiro já tinha estipulado o final desta temporada como o limite para sua carreira. Hoje, porém, ele acha que deveria ter parado no ano passado. “No final do ano eu vou chegar já no limite. Eu acho até que o limite foi no ano passado, esse ano já está de bônus, mas final do ano com certeza vou ter que dar um repouso para o meu corpo, até para ter uma sequência de vida tranquila, sem ter problemas nem ter que colocar prótese”.

A nova meta de Marcos é voltar a treinar na semana que vem e, quem sabe, ser relacionado para pegar o Bragantino. “Estou numa batalha com o meu joelho, para ver se me deixa voltar a treinar, quem sabe na semana que vem eu posso voltar.” Ele, porém, não sente mais prazer em jogar. “São 18 anos fazendo a mesma coisa, com prazer, então a partir de agora começou a não ser mais prazer, as dores não deixam, não dá pra ter prazer com dor. Até porque você não é sadomasoquista (risos). É uma coisa que chega pra todo mundo”, afirmou o conformado goleiro.