Depois da vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba, que não foi suficiente para manter o Palmeiras vivo na Copa do Brasil, na última quarta-feira à noite, no Pacaembu, o volante Marcos Assunção fez um desabafo emocionado ao comentar uma polêmica no qual teve o seu nome envolvido nos dias que antecederam o confronto. O atleta negou que seja um “dedo-duro” do elenco palmeirense, levando informações dos jogadores para comissão técnica e diretoria.

A polêmica surgiu no último sábado, quando o jornal Marca Brasil publicou uma reportagem dizendo que um suposto jogador do elenco do time do Palestra Itália acusou Marcos Assunção de agir desta forma dentro do clube.

“Quem falou isso de mim é sem-vergonha, covarde e cafajeste. É um safado por não ter se identificado. Eu não fico ligando para o que sai em jornal, nunca dei bola para isso. Mas essa acusação de dedo-duro doeu muito, realmente fiquei muito mal com isso”, afirmou o volante, que foi um dos destaques da vitória do Palmeiras na última quarta, quando fez, inclusive, um belo gol de falta.

O jogador de 34 anos ressaltou que nunca enfrentou esse tipo de problema em sua carreira, na qual atuou por dez anos fora do País, e garantiu que tem ótimo relacionamento com o atual elenco do Palmeiras. “Nunca fui traíra, nunca! Minha relação com todos do elenco, inclusive os atletas da base, é excelente. E se eu tivesse essa abertura com a diretoria, como foi falado por esse jogador, eu já teria renovado meu contrato faz tempo”, enfatizou.

 

A polêmica em torno de Marcos Assunção surgiu apenas dois dias depois de o Palmeiras ser goleado por 6 a 0 pelo Coritiba, no Couto Pereira, no duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. E o atleta aproveitou a vitória no confronto de volta para admitir que se sentiu envergonhado pela derrota sofrida em Curitiba.

“Só saí de casa no domingo, para ver a minha mãe. Acho que nunca tinha passado tanta humilhação. E ainda vem um sem-vergonha e fala coisas como aquela, se aproveitando de um momento de crise. Não vou ficar carregando isso comigo. A vida segue e espero que o Palmeiras consiga manter esse padrão de jogo para fazer um excelente Campeonato Brasileiro”, disse.

Nesta quinta-feira, em entrevista para a TV Bandeirantes, Marcos Assunção disse que o técnico Luiz Felipe Scolari destacou a mudança de postura da equipe em relação ao primeiro jogo das quartas de final. “O Felipão chegou pra gente e disse: esse é o time que eu conheço. O time que eu gostaria de ter visto em Curitiba. Infelizmente, no jogo de ida foi um dia em que todo mundo jogou mal”, afirmou o atleta, admitindo que faltou também mais empenho do time palmeirense na capital paranaense.