Maradona garante que não deixa a seleção argentina

Apesar dos fortes rumores sobre uma possível saída, Maradona foi enfático ao afirmar nesta quinta-feira que continua no comando da seleção argentina. “Eu tenho contrato até 2011!”, avisou o treinador, poucas horas depois de ter desembarcado em Buenos Aires – voltava da Itália, onde passou dez dias fazendo tratamento para perder peso num spa.

Sofrendo duras críticas, por causa da complicada situação da Argentina nas Eliminatórias da Copa de 2010 – faltando duas rodadas, está em quinto lugar, correndo risco de não ir ao Mundial da África do Sul -, Maradona reafirmou seu poder no comando da seleção. “Todas as coisas quem decide sou eu. E se eu não estou, não se decide coisa alguma!”, explicou.

Na entrevista desta quinta-feira, quando anunciou a convocação da seleção, Maradona ficou visivelmente irritado ao ser perguntado se havia ocorrido alguma “imposição” de jogadores para os próximos jogos. “A última coisa que permitiria é que me imponham alguma coisa! Nem que me sugiram um jogador, eu aceitaria! Nem isso! Eu trouxe a lista dos jogadores”, respondeu.

A lista divulgada nesta quinta-feira conta apenas com jogadores que atuam em clubes argentinos e foi destinada para o amistoso contra Gana, que acontecerá no dia 30 de setembro, em Córdoba. O destaque da convocação é o meia Ariel Ortega, com quem Maradona jogou na Copa de 1994, nos Estados Unidos. Atualmente com 35 anos, o jogador está defendendo o River Plate.

Nesta sexta-feira, porém, Maradona anuncia uma outra convocação, do grupo que disputará as duas últimas rodadas das Eliminatórias da Copa – a Argentina enfrentará o Peru, em 10 de outubro, no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, e o Uruguai, quatro dias depois, em Montevidéu. Como estão em quinto lugar, os argentinos precisam de duas vitórias para conseguirem vaga direta no Mundial, sem precisar encarar a repescagem.

Voltar ao topo