A eliminação nas oitavas de final da Libertadores, diante do Santa Fé, parece não ter diminuído o prestígio nem a confiança de Vanderlei Luxemburgo no Grêmio. Mantido no cargo após reunião na última segunda-feira, o treinador esqueceu os maus resultados do primeiro semestre – a equipe também caiu prematuramente no Campeonato Gaúcho – e garantiu que seus comandados entram tanto no Campeonato Brasileiro quando na Copa do Brasil como favoritos ao título.

“O Grêmio entra como candidato no Brasileirão e na Copa do Brasil e vamos buscar a vaga na Libertadores do ano que vem. Estamos entrando mais forte do que terminamos 2012 e não tenho dúvida de que somos candidatos. Mais do que isso, não tenho dúvida de que o Grêmio vai conquistar grandes títulos dentro dos próximos dois anos”, afirmou, em entrevista coletiva nesta terça.

Além da eliminação na Libertadores, a pressão da torcida gremista pesava contra Vanderlei Luxemburgo. Na reapresentação do grupo, na última segunda-feira, alguns torcedores apareceram com faixas pedindo a saída do treinador, mas, após uma reunião com a diretoria, sua permanência foi confirmada. O técnico, aliás, fez questão de exaltar o comportamento dos dirigentes.

“Em nenhum momento, ouvi declarações do presidente (Fábio Koff) colocando em dúvida minha permanência. Isso surgiu na imprensa em função do resultado, eu nem vi. Para quem gosta de ganhar, é doído. Tive que tirar uma folga, porque todo mundo estava degustando uma derrota. Fiquei no fim de semana com a família, pois ficamos muito tempo longe deles”, disse Luxemburgo.

Apesar da permanência do treinador, o clube já teve mudanças. Nesta terça, o auxiliar-técnico Emerson Rosa pediu demissão por razões pessoais. Luxemburgo, no entanto, negou que a eliminação esteja influenciando negativamente a equipe, pelo contrário, prometeu tirar forças dela. “A derrota pertence aos campeões dependendo de como lidar com ela. Eu cresço e me fortaleço com as derrotas. É delas que construo os times vencedores.”