O técnico Mano Menezes exaltou a atuação do Cruzeiro no empate por 3 a 3 com o Grêmio, na noite de segunda-feira, no Mineirão, no duelo que encerrou a oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Mas ele só não se declarou plenamente satisfeito com o que viu em campo porque, na sua avaliação, o time poderia ter conquistado a vitória, mesmo que o adversário tenha conseguido abrir boa vantagem, de 2 a 0.

“A gente sai meio satisfeito, porque o Cruzeiro poderia ter vencido. Tivemos um lance no finalzinho com o Elber e seria uma grande vitória. Ouvimos antes do jogo que o Grêmio jogava pela liderança, mas o Cruzeiro do outro lado jogava pela quarta ou quinta colocação na tabela e jogou para isso, com ambição. Mas o outro lado também tem méritos e foi um grande jogo, sem dúvida alguma”, afirmou.

Mano lembrou que o Cruzeiro teve grande volume de jogo diante do Grêmio, tanto que acertou a trave três vezes. E, na sua avaliação, o time voltou a ter uma boa atuação diante de um dos líderes do Brasileirão, em referência ao duelo com o Corinthians, em que foi derrotado na rodada anterior, em São Paulo.

“O Cruzeiro vem assumindo o papel de propor jogo. Fizemos isso de forma bem veemente contra o líder em São Paulo e fizemos isso hoje contra o Grêmio. A equipe teve muita força para buscar o resultado de empate. Tivemos mais uma bola na trave no final num chute do Elber. Foram três bolas na trave que tivemos contra uma equipe dona da segunda melhor campanha no Brasileiro e que vinha fazendo grandes jogos fora de casa”, avaliou.

Por isso, diante das qualidades exibidas, Mano acredita que o Cruzeiro ainda pode sonhar alto no Brasileirão. “Sempre acredito em equipes que crescem durante a competição. Lógico que não podemos esperar muito para crescer. Alguns já fizeram uma vantagem boa lá na frente e nós queremos estar com eles. A equipe tem mostrado que tem potencial para estar lá”, disse.

O empate levou o Cruzeiro aos 11 pontos, em oitavo lugar no Brasileirão. O time volta a jogar na próxima quinta-feira, quando vai visitar a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, pela nona rodada.