O Atlético ingressou com um recurso no STJD na segunda-feira (16) para que o artigo 9.° do regulamento seja cumprido corretamente. Na avaliação dos rubro negros o artigo é equivocado. O presidente do Conselho Administrativo do clube, Marcos Malucelli, esclareceu em entrevista á Rádio CBN, o que pensa sobre o artigo. ” (O artigo 9.°) é bem claro ao dizer que o clube mais bem classificado faria todas as partidas da segunda fase com o mando de campo. Eu acho isso errado, mas é o que está escrito no regulamento”, resumiu.

Segundo o presidente, a FPF precisará marcar um novo arbitral com os clubes para que seja definido o regulamento da segunda fase do Estadual. “Isso só pode ser alterado com a realização de um arbitral com os clubes no qual iremos decidir o que é melhor e analisaremos o que foi entendido no arbitral anterior. Mandamos um ofício para o Helio Cury (presidente da FPF) sobre a realização de um novo arbitral, mas ainda não recebemos uma resposta. Se o regulamento está mal redigido vamos dar a ele outra redação. Vamos consultar os clubes, já que ninguém foi consultado”, salientou.

Finanças e Futebol

Segundo o apresentador do CBN Esporte, Carlos Kleina, a chapa que formou a oposição das eleições do Atlético (José Henrique de Faria e Nelson Fanaya), no ano passado, divulgou um manifesto questionando algumas promessas de campanha e também as finanças do clube. O presidente Malucelli diz não ter conhecimento do manifesto, mas mesmo assim quis se defender. “Solicitei um levantamento ao financeiro do clube para que pudesse ter dados para conversar com a imprensa a respeito. Quero mostrar aos atleticanos como estão as finanças do Atlético. É possível que ainda nesta semana eu me pronuncie a respeito”, disse.

O presidente disse que as promessas de campanha estão sendo cumpridas. “Quando falei que ficaríamos entre os três primeiros em qualquer categoria que disputássemos até agora estamos cumprindo. Na Copa São Paulo ficamos em segundo lugar. No Paranaense estamos em primeiro, por enquanto. O investimento no futebol está sendo feito porque mantemos a estrutura, a base. Veja o Paraná, por exemplo. Trouxeram 16 jogadores e estão em nono lugar. A nossa folha salarial diminuiu em 25% e mantivemos o padrão. Para o Paranaense e o início da Copa do Brasil é suficiente esse elenco que temos”, finalizou.