Antes do clássico entre Palmeiras e Santos na fase de classificação do Campeonato Paulista, o técnico Luis Felipe Scolari chegou a afirmar que torcia por uma boa atuação de Maikon Leite, o que só valorizaria o jogador que a partir do final de junho passará a defender as cores alviverdes. A boa fase do atacante, que marcou nos últimos dois jogos, volta agora a gerar incertezas na Vila Belmiro.

Nesta segunda-feira, um dos muros do CT Rei Pelé foi pichado com frases de protesto contra a diretoria, que “perdeu” Maikon Leite para o Palmeiras. O atacante fez participou dos três gols do Santos contra o Paulista, no domingo, e fez o segundo gol contra o Cerro Porteño, na quinta-feira.

Ele garante que a sua motivação em jogar pelo Santos continua a mesma. “Já provei para todo mundo que honro a camiseta do Santos. Se tiver que jogar contra o Palmeiras ou contra qualquer outra equipe, vou honrar o clube em que estou jogando. Estamos em fase importante de dois campeonatos (Paulista e Libertadores) e quero ajudar o Santos a conquistar estes dois títulos. Não vou tirar o pé em nenhum momento”, disse Maikon Leite.

O título da Libertadores, aliás, é o principal trunfo da diretoria para segurar o jogador. Se faturar a competição continental, o atacante poderia ser atraído pela chance de disputar o Mundial de Clubes. O único problema é que o pré-contrato com o Palmeiras começa a valer antes do final do torneio.