O meio-campo Madson que se cuide. O técnico Adilson Batista está de olho em seus passos fora das quatro linhas. O jogador, mesmo sendo importante para o elenco, já amargou banco de reservas sob o comando do treinador, mas ganhou uma nova chance depois do jogo contra o Rio Branco, na despedida do Campeonato Paranaense, quando marcou dois gols.

Só que voltou a dar com a língua nos dentes. Disse que não aceita ser policiado em sua vida fora das quatro linhas e afirmou que não deixará de fazer nada que vem fazendo, só que agora sem chamar a atenção.

O problema é que as declarações do Baixinho não foram bem digeridas pelo treinador. “Ficar escondido igual ao bin Laden? bin Laden está bem escondido agora”, brincou Adílson Batista, que afirmou que as atitudes fora do campo influnciam na maneira que ele trabalha com cada jogador.

Porém, o técnico garante que não está vigiando o jogador, embora tenha gente que faça isso por ele. “O futebol tem que ter força, perna, condicionamento físico, repouso, boa alimentação, tem que estar num ambiente saudável, estar de bem com os familiares, com os filhos, esposa, com a cabeça boa. [Saída] Interfere, não tem jeito. Eu não vou ficar vigiando jogador não. Tenho uns amigos aí, a turma de Adrianópolis, que me contam tudo”, afirmou Adilson.