O técnico Vanderlei Luxemburgo não poupou críticas ao árbitro Renato Cardoso da Conceição, que anulou um gol legítimo do Atlético Mineiro no clássico com o Cruzeiro, no sábado. O time celeste venceu o duelo por 3 a 1, no Mineirão.

No lance polêmico, o atacante Diego Tardelli, em posição regular, recebeu passe dentro da área e marcou o que seria o segundo gol do Atlético. A partida estava empatada por 1 a 1. Contudo, a arbitragem assinalou impedimento na jogada.

“O árbitro foi o grande responsável pelo resultado. Não pode anular um gol em que o jogador estava claramente em posição legal”, reclamou Luxemburgo, para quem a decisão do juiz mudou o rumo do jogo.

“Anular um gol onde, com três minutos do segundo tempo, contra um adversário forte, você sai com 2 a 1 e, automaticamente, quem vai se abrir é o adversário e você passa a ter os contra-ataques. O Atlético não pode ser prejudicado como foi hoje”, declarou.

O técnico ainda criticou os critérios do árbitro na punição com cartão amarelo. “O Leandro recebeu cartão amarelo porque parou uma jogada e o Marquinhos Paraná fez a mesma coisa com o Muriqui e não foi advertido. O Jairo fez duas faltas e tomou cartão amarelo, o Leonardo fez um monte e não recebeu cartão. O árbitro amarelou a minha zaga e tudo isso são detalhes que determinam o que vai acontecer”, argumentou.

Já o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, avisou que a diretoria do clube tomará providências por conta dos erros da arbitragem. “Mais uma vez, fomos assaltados! Obrigado, torcida do Galo! Vocês fazem a festa sempre e não precisam ser comprados”, declarou o dirigente em sua página no Twitter (rede virtual de relacionamento). “E fiquem tranquilos. Tomaremos medidas definitivas”, prometeu.