Luciano Gusso já iniciou o trabalho como técnico do Paraná. Confirmado na quinta-feira como substituto de Ricardinho, o ex-auxiliar de Claudinei Oliveira, aos poucos começa a tomar conhecimento da situação do clube. Infelizmente, o cenário não é nada convidativo para quem precisa mostrar serviço em uma equipe que há anos não conquista algo importante.

No aspecto financeiro, o Tricolor está cercado de dívidas e termina o ano com enormes dificuldades. Salários atrasados, cotas antecipadas, patrocínio master em fase final de contrato e, principalmente, com credibilidade arranhada diante dos últimos acontecimentos.

Gusso trabalhou em várias equipes e conviveu com as adversidades de times menores do interior do estado. O fator de ajudar o clube que o formou para a vida, incentiva o profissional a assumir o Paraná.

“Este trabalho representa muita responsabilidade, trabalho, pois conheço a história e sei da tradição”, disse Luciano Gusso, em entrevista à Tribuna 98.

Dentro de campo, Luciano Gusso vai encontrar uma base montada. A maioria dos jogadores tem contrato com o Paraná e devem se apresentar no dia 4 de janeiro, para o início da pré-temporada. Atletas experientes como Marcos, Cleiton, Edson Sitta e Henrique serão úteis novamente aos jovens que este ano mostraram qualidade como Alisson, Marcos Serrato, Jean, Leandro Vilela e Yan. A vantagem neste período de transição é o conhecimento de Gusso no plantel, nas características de cada jogador e na ótima relação que tem com todos do clube.

Outro ponto positivo é na estrutura de trabalho, criticada pelos antecessores e até pelos atletas. Com a parceria com a empresa Racco, o Paraná utilizará boas instalações, com gramados de qualidade, um local perfeito para iniciar 2015. “Será um ano de pés no chão. Sei da realidade do clube, mas pretendo ter uma equipe competitiva”, afirmou Gusso.

Experiência

Luciano Gusso trabalhou com vários treinadores, mas os últimos foram essenciais para a evolução no trabalho. Com Claudinei Oliveira e Ricardinho, Gusso ganhou espaço e foi lembrado pelos dirigentes para assumir o comando técnico da equipe. “Foi muito bom ter trabalhado com esses profissionais, pois cada um tem a sua linha de pensamento, tentando sempre fazer o melhor dentro daquilo que achava para o momento. São pessoas da melhor qualidade, que estavam sempre abertos ao diálogo e sugestões. No futebol, se aprende todo dia e com eles não foi diferente”, ressaltou Luciano Gusso.

Diretor

O novo técnico do Paraná terá a companhia de Marcus Vinícius para montar o planejamento para 2015. O diretor de futebol trazido por Ricardinho confirmou que ficará no clube. A boa notícia pode render reforços. O atacante Rossi, de 21 anos, da Ponte Preta, está próximo do acerto e a negociação é facilitada pelo bom relacionamento de Marcus Vinícius com a diretoria da equipe paulista.