O sorteio dos grupos da Libertadores, realizado na noite da última quarta-feira em Luque, no Paraguai, colocou o Grêmio na chave 1, ao lado de Cerro Porteño, Defensor-URU e Monagas-VEN. Destaque da equipe gaúcha na conquista do torneio deste ano, Luan considerou que serão adversários complicados na busca por uma vaga nas oitavas de final.

“Quem quer ser campeão não pode escolher adversário. Este ano, tivemos um grupo difícil também, mas nos classificamos bem. Para quem quiser ser campeão, não importa o grupo”, declarou o jogador em entrevista ao SporTV em Mangaratiba, no Rio, onde disputou um amistoso beneficente organizado por Emerson Sheik.

Se comparado aos outros times brasileiros, porém, o Grêmio caiu em um grupo considerado mais fácil. É o único clube do País, por exemplo, sem um argentino na chave. Além disso, tem apenas o Cerro Porteño como adversário de mais tradição no continente. Talvez por isso, o experiente lateral Léo Moura viu a chave de outra forma e admitiu o favoritismo gremista.

“Libertadores é sempre muito difícil. Às vezes você cai em um grupo achando que é fácil, pelo time não ser de tanta expressão. Mas a gente caiu em um grupo considerado bom. Lógico que o Grêmio é o campeão da Libertadores, vai ser o time a ser batido, mas a gente vai fazer de tudo para conquistar mais esse título no ano de 2018”, disse.