O técnico da Alemanha, Joachim Löw, festejou a goleada sobre o México por 4 a 1 na semifinal da Copa das Confederações, nesta quinta-feira, em Sochi, que colocou a jovem equipe europeia na decisão do torneio contra os chilenos – venceram a seleção portuguesa na disputa de pênaltis, na quarta. Löw destacou a obediência tática de seus comandados como fator decisivo para o sucesso da equipe.

“Foi uma partida realmente intensa, porque o México é tecnicamente muito forte. Mas nós fizemos exatamente o que havíamos planejado. Os mexicanos sempre querem impor o seu jogo sobre os oponentes e é isso o que queríamos desde o início. Queríamos dominar desde o início e atacá-los”, analisou o treinador, em entrevista coletiva após a partida.

O treinador alemão também valorizou a exibição do goleiro Ter Stegen – que atua pelo Barcelona -, muito requisitado durante a partida devido ao poderio ofensivo do selecionado mexicano.

“Marc (Ter Stegen) fez algumas defesas maravilhosas. Eles tiveram as chances e precisamos correr muito. De modo alguma a vitória foi fácil. Foi um jogo realmente difícil”, complementou Joachim Löw.

O atacante Leon Goretzka, de 22 anos, autor dos dois primeiros gols da seleção alemã nos primeiros minutos da partida, comemorou o resultado, mas projetou uma decisão bastante complicada devido à qualidade do Chile.

“Estou feliz por ter sido capaz de ajudar o time com os mes dois gols. Mas o objetivo principal foi chegar à final. Não fomos tão fortes na fase de grupos contra o Chile. Falamos sobre isso e queremos fazer as coisas diferentes agora”, avaliou o atacante, um dos jovens valores da renovada seleção alemã.

A final da Copa das Confederações entre Chile e Alemanha está marcada para às 15 horas (horário de Brasília) do próximo domingo, na Arena Zenit, em São Petersburgo. Antes, às 9 horas, será realizada a disputa pelo terceiro lugar da competição, entre Portugal e México.