Está causando polêmica a escolha do local do jogo entre o Grêmio e o Cruzeiro de Porto Alegre, pela semifinal do segundo turno do Campeonato Gaúcho. Os cruzeirenses querem fazer valer o direito de mandar o jogo no Passo D’Areia. Os gremistas não querem jogar no gramado sintético do estádio.

A casa do Cruzeiro é o Estrelão, mas o local não tem condições estruturais de receber grandes jogos. Foi feito então um acordo com a Federação Gaúcha de que, quando recebesse Inter e Grêmio, o time cruzeirense mandaria o confronto no estádio Passo D’Areia, pertencente ao São José.

Logo após a classificação do Grêmio às semifinais, Renato Gaúcho garantiu que seu time não jogará no único gramado sintético autorizado pelo Fifa a receber partidas oficiais no Brasil. Ele não quer arriscar perder jogadores por lesão para os jogos decisivos do estadual e para os mata-matas da Libertadores.

Nesta segunda-feira a Federação Gaúcha anunciou o jogo para o domingo, às 16h, mas não confirmou o local. A outra semifinal, entre Juventude e Inter, será às 18h30 do sábado, no Alfredo Jaconi.

Quando atuou com o time reserva no Passo D’Areia, o Grêmio venceu o Porto Alegre, mas perdeu Pessalli e William Magrão machucados. O Inter também teve prejuízo. No seu único jogo lá, Sorondo machucou o joelho e a clavícula na mesma queda e vai ficar afastado por cerca de seis meses.

Como alternativa, o Grêmio sugeriu o estádio do Ulbra, em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. Incomodado com a postura gremista, o Cruzeiro se colocou irredutível: “Como o mando de jogo é do Cruzeiro, a decisão é soberana da diretoria estrelada e já está confirmado a acertado o local do jogo no Passo D’Areia”, diz o site do clube.