O piloto espanhol Dani Pedrosa deve decidir na próxima semana se será submetido a uma cirurgia na clavícula direita ou se optará por um tratamento mais conservador após ter sofrido uma queda na etapa deste domingo da MotoGP, em Le Mans.

Pedrosa precisou deixar a prova mais cedo por causa de uma ultrapassagem imprudente do italiano Marco Simoncelli na primeira parte da corrida. A manobra atrapalhou o espanhol, que tocou na moto do rival, perdeu o controle e abandonou a corrida. Na queda, ele sofreu a fratura na clavícula direita.

A nova lesão acontece justamente quando Pedrosa tentava se restabelecer na categoria, após ficar de fora das últimas etapas do ano passado, por conta de outra fratura, na clavícula esquerda. O espanhol vencera a corrida anterior, em Portugal, e estava na briga pela liderança do campeonato.

Por conta da fratura, a presença de Pedrosa na próxima etapa da MotoGP, em Montmeló, no Grande Prêmio da Catalunha, ainda é incerta. Ele regressou imediatamente de Le Mans a Barcelona após o acidente e as radiografias realizadas confirmaram o primeiro diagnóstico.

O espanhol passou a noite no hospital, imobilizado, e terá a opção de colocar mais uma placa na clavícula ou esperar que a lesão sare naturalmente, sem a necessidade de uma cirurgia.