Quase um ano e meio depois de ser campeã do mundo e assumir a primeira colocação do ranking da Fifa, a Espanha segue sem conseguir vencer um adversário de expressão. Neste sábado, a seleção espanhola perdeu para a Inglaterra, por 1 a 0, em jogo amistoso realizado em Wembley, e manteve sua dura sina.

Apesar da campanha 100% nas Eliminatórias da Eurocopa, a seleção espanhola não vem convencendo seu torcedor. Depois da Copa, jogando amistosamente, perdeu para Argentina, Portugal, Itália e Inglaterra. Só venceu times de menor expressão nas Américas: Colômbia, EUA, Venezuela e Chile, além de ter empatado com o México.

Já a Inglaterra faz as pazes com sua torcida, uma vez que vinha de atuações ruins em casa. Nos últimos quatro jogos, só havia vencido Gales, pelas Eliminatórias da Eurocopa, por 1 a 0. De resto, empatou com Gana e Montenegro e perdeu para a França. Sua última atuação convincente em Wembley havia sido numa goleada sobre a Bulgária, há mais de um ano.

Neste sábado, o jogo foi especial para os ingleses, que homenagearam seus mortos em guerra usando uma papoula no uniforme – a flor vermelha é o símbolo da memória aos mortos em combate. A homenagem chegou a ser vetada pela Fifa, que voltou atrás depois de pedidos do primeiro-ministro David Cameron e do príncipe Willian, presidente da Federação Inglesa. Antes do jogo, um respeitoso minuto de silêncio deixou Wembley emudecido.

Com a bola rolando, poucas chances de gol no primeiro tempo. Casillas, que fazia sua 126.ª partida com a camisa da Espanha, igualando o recorde histórico de Zubizarreta, mal tocou na bola. Saiu no intervalo sem ter tido trabalho.

Mal Reina entrou em campo e teve que buscar uma bola nas redes. Aos 3 minutos do segundo tempo, Milner cobrou falta pela esquerda, Bent cabeceou, a bola bateu na trave e voltou para Lampard, oportunista, escorar praticamente em cima da linha e abrir o placar.

A Espanha cresceu depois de ficar em desvantagem. Villa quase marcou em duas oportunidades. Numa, driblou Hart e mandou para fora. Em outra, acertou voleio na trave esquerda da Inglaterra. Quase no fim, Fabregas, que havia substituído Xavi, perdeu sozinho, na pequena área, a melhor chance dos espanhóis.