O fim da parceria com a Unimed deixou o Fluminense com um clima de incerteza em relação ao futuro dos seus principais jogadores e deve abrir espaço para que promessas das categorias de base ganhem mais oportunidade no time principal. Essa é a esperança do atacante Kennedy, de apenas 17 anos.

“Sei que o ano que vem vai ser especial para a gente da base. Vamos para as férias e depois voltar com tudo. O ano acabou e aprendemos muito com ele. Podíamos ter tido um ano melhor, é verdade, mas não foi tão ruim”, disse o jovem, que tem passagens pelas seleções de base do Brasil.

Em 2014, Kennedy disputou 20 das 38 partidas do Fluminense no Campeonato Brasileiro, mesmo que tenha sido titular em apenas dois jogos. Agora, ele acredita que poderá ser ainda mais importante para o time em 2015, sonhando em levar o Fluminense a ser campeão na próxima temporada.

“Entrei, me esforcei, mas não conseguimos vencer. Vamos ver como vai ser o futuro. Enfrentar eles em Minas é sempre complicado, mas tivemos oportunidades. Temos grandes valores na base e outros treinando já no profissional. 2015 pode ser um ano que vai surpreender muita gente pessimista”, comentou.