Juliana e Larissa chegaram aos Jogos Pan-Americanos como certeza de medalha de ouro para o Brasil. Mas a decisão do vôlei de praia, nesta sexta-feira, quase frustrou esta expectativa. Sob o forte calor de Puerto Vallarta (cidade litorânea que recebe esta e outras modalidades de praia), as brasileiras tiveram muito trabalho para vencerem as mexicanas Garcia e Candelas, em 59 minutos de uma partida memorável, e faturarem o bicampeonato pan-americano.

“Os três obstáculos foram muito difíceis: a torcida contra, o sol, e a Bibi (Candelas), que parecia estar com 2,20m de altura e não com 1,96m”, festejou Juliana, falando da mexicana que faz dupla com Garcia.

As brasileiras, que pouco antes receberam a notícia de que haviam conquistado o título do Circuito Mundial por conta da desistência das norte-americanas Walsh e May (segundas colocadas) de jogar a última etapa, tiveram que salvar quatro match points no tie-break para serem campeãs no México. A dupla da casa chegou a ter 13/10 no último set.

“Ali passou pelas nossas cabeças o ‘filminho’ dos 10 anos em que jogamos juntas e isso nos ajudou. Teve uma hora em que a Larissa falou: a torcida está gritando ‘ouro’, ‘ouro’. Nessa hora eu nem estava ouvindo de tão concentrada. Foi um vitória com a nossa cara, com muita superação”, vibrou Juliana, que chegou a ter uma leve desidratação no final da partida e precisou de atendimento.

“Estou feliz demais! Quando estávamos perdendo o tie-break lembrei muito do Campeonato Mundial, em Roma, e falei: não vamos perder esse jogo. Somos brasileiras e não desistimos nunca!”, celebrou Larissa, falando do título mundial conquistado na Itália em outro jogo memorável, vencido no terceiro set sobre Walsh e May.