O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, deve anunciar hoje o nome do novo secretário municipal para assuntos da Copa do Mundo. O cargo, até então, era ocupado por Luiz de Carvalho, que sempre defendeu com unhas e dentes a Arena da Baixada e a capital paranaense para ser uma das sedes do Mundial de 2014, como acabou acontecendo. Porém, quem entrar em seu lugar terá uma missão um pouco mais fácil, sendo, a partir de agora, uma espécie de relações públicas para a imprensa em 2014.

Com o dinheiro para as obras da Arena já viabilizado – o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) até agora não liberou nenhuma parcela -, é de responsabilidade do Atlético responder pelo andamento da reforma e controlar toda a situação. Desta forma, o cargo ligado à prefeitura se torna meramente “honorífico”.

Ainda assim, existem vários candidatos a ocupar a posição. Os três mais cotados são Paulo Rink, vereador pelo PPS; Hélio Cury, presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), e candidato derrotado a vereador nas eleições passadas, e o jornalista Edson Militão – o mais cotado para assumir a nova função. Pelo menos existe um forte lobby entre os aliados de Gustavo Fruet para que Militão seja o escolhido. Ex-presidente do PDT em Curitiba, o vereador Jorge Bernardi é quem mais o apoia.

A experiência em Copas do Mundo é muito favorável a Militão, que esteve presente em dez mundiais, além de cinco Olimpíadas. Outro fato que pesa é a ótima relação que ele tem com a imprensa – não só local, como também nacional e internacional -, o que se encaixa no perfil esperado do novo secretário para assuntos da Copa do Mundo. O fato de ele não ser ligado a nenhum partido político também pode ser considerado um diferencial.

No caso de Paulo Rink, pesam as relações que ele tem fora do do Brasil, principalmente com a Alemanha – país ao qual se naturalizou e atuou durante quatro anos. Ele até já iniciou conversas para trazer a seleção local para Curitiba em 2014. Porém, a questão partidária pode ser um empecilho, uma vez que o PPS apoiou o ex-prefeito Luciano Ducci. Já Hélio Cury faz parte do mesmo partido que Fruet, mas o fato de ter contabilizado apenas 2.329 votos nas eleições para vereador do ano passado o fizeram perder força. Há ainda o desgaste à frente da FPF.