A Adap vai poder jogar a partida contra o Coritiba, na volta das semifinais do Campeonato Paranaense, no estádio Roberto Brzezinski. Ontem, o clube foi absolvido pela Terceira Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva, da acusação de falta de segurança, por causa de uma garrafa térmica jogada ao campo durante a partida contra o Atlético, no jogo de ida das quartas-de-final, vencida pela Adap por 2 a 1.

Após o pênalti desperdiçado por Alan Bahia, o árbitro Evandro Rogério Roman deparou-se com uma cena inusitada – uma garrafa térmica grande estava à beira do gramado. Ele relatou o fato na súmula, e o time de Campo Mourão entrou no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê multa (de até R$ 50 mil) e perda de mando de partidas.

A defesa, comandada pelos advogados Luiz Antônio Teixeira e Osires Nadal, levou ao TJD duas testemunhas – funcionárias da Adap, que disseram aos auditores que a garrafa era para a água dos gandulas, e que acabou parando no campo quando aconteceu a festa pela falha na penalidade. Além disso, valeram-se das imagens da TV, que mostra o árbitro rindo da situação, e do relato de jornalistas que estavam no estádio.

O relatório já pedia a absolvição da Adap, que foi representada no julgamento pelo presidente Adílson Batista – o clube se prepara para a partida de domingo contra o Coxa na Região Metropolitana. A Terceira Comissão Disciplinar votou unanimemente pela liberação do estádio Roberto Brzezinski, que então vai receber Adap x Coritiba, quarta-feira, às 15h40.

Adap terá que quebrar tabu

Clodoaldo Bonete

Para continuar surpreendendo e chegar à final inédita do Campeonato Paranaense, a Adap terá que quebrar um incômodo tabu contra o Coritiba, na semifinal: derrotar pela primeira vez o adversário. É que em oito jogos disputados entre as duas equipes, o time mourãoense nunca venceu o Coxa. Sequer empatou.

O longo tabu, que começou em 2002, no entanto, não tira o sono do técnico Gilberto Pereira, que encara essa situação como um novo desafio: ?Tabu existe para ser quebrado. São dois jogos e é mais uma oportunidade que temos de vencer esse desafio. Sabemos que o Coritiba tem essa vantagem, mas no futebol tudo pode acontecer e podemos reverter essa situação e buscar a nossa classificação?, confia o técnico.

Para entrar novamente em ?clima de decisão?, como fez na semana que antecedeu o confronto contra o Atlético em casa, a Adap viajou quarta-feira para Colombo, e está alojada na Estância Betânia. Pereira entende que a partir de agora o time precisa se concentrar totalmente no Coritiba para tentar bom resultado no confronto programado para a capital. ?Temos que aproveitar o bom momento, mas deixar a empolgação do triunfo sobre o Atlético para a torcida e a imprensa e nos concentrar no Coritiba. Como falei desde o início, trabalhamos por etapas e se chegamos até aqui precisamos tomar gosto, nos concentrar ao máximo para chegar mais próximo dos primeiros lugares?, receitou.

O treinador disse que para chegar ?onde muitos pensam, ainda temos que galgar muita coisa. É preciso passar pelo Coritiba?, completou. O único desfalque para o primeiro jogo, na capital, será o do meia Batista, que cumpre suspensão por cartão amarelo. No entanto, pelo menos mais sete estão pendurados.