Taianan Imberê Linhares Welker. O nome esquisito, que mistura tupi-guarani a um sobrenome europeu, ficará apenas na ficha do jogador. A partir de hoje, o meia quer ser chamado apenas de “Tai”.

“Fica mais fácil para todos. Até pra vocês, da imprensa. Senão, quando vocês estão terminando o nome a bola já está com outro”, brincou o jogador, que nos cinco anos atuando no exterior adotou apenas o apelido.

Além da experiência internacional, Tai tem no currúculo a formação no Internacional, um clube que tradicionalmente revela grandes valores para o futebol mundial.

“Estou voltando ao Brasil e espero usar tudo o que aprendi nos últimos anos para recuperar espaço no cenário nacional. A verdade é que, hoje, ninguém me conhece por aqui”, admitiu, humildemente, o jogador.

Tai tem a missão de ocupar o setor criativo da equipe tricolor. A proposta ofensiva, e de velocidade, adotada por Cavalo depende muito do seu futebol. “Não tem como pensar num time veloz se o meia não fizer a ligação com competência. Porém, neste início, é natural sentir a falta de entrosamento”, lembrou Tai.

O meia estreia hoje, mas não deverá estar em campo no domingo, frente ao Corinthians Paranaense. Como sua transferência vem da Espanha, e a janela para transferências internacionais só abrem no próximo dia 15 (sábado), ele só estaria à disposição de Cavalo para o duelo frente ao Rio Branco, na outra quarta-feira. Porém, ainda há uma possibilidade, remota, de que a CBF antecipe para o dia 14 o início da janela.