Em momento instável -bem no Campeonato Paranaense, decepcionante na Copa do Brasil -, o J. Malucelli abre hoje a 8.ª rodada do Campeonato Paranaense contra o Cascavel, às 15h30, no Estádio Janguito Malucelli.

A derrota para o Guarani por 2 a 0, jogando em casa, na última quarta-feira, abalou o Jotinha, que tinha na competição nacional planos ousados, que incluíam, principalmente, o surgimento do Corinthians Paranaense, que agora ficará restrito ao âmbito estadual. E para se manter entre os primeiros, o Caçula conta com a recuperação de Bruno Batata e Valdenir, que fracassaram diante do Bugre.

O Cascavel continua precisando de resultados. Na vice-lanterna da competição, a Cobra tenta arrancar pelo menos um empate no ecoestádio. Sem o zagueiro Botcha, suspenso, o técnico Rodinei Lucas deve escalar Wagner na zaga e estuda a troca de Serginho por Cristiano. Diego Corbari, sem condições físicas, nem viajou para Curitiba.

Estreias

À noite, no Estádio do ABC, o Foz do Iguaçu recebe o Rio Branco. O jogo marca a estreia do técnico Rogério Perrô no time da fronteira – ele substitui o demitido Sérgio Moura.

Perrô, ex-Toledo e ex-Paraná, não definiu o time, mas vai escalar o veterano Reginaldo Araújo, aquele lateral que jogou no Coritiba e foi vice-campeão da Libertadores com o Santos. Já o volante Vinícius, contratado ontem por empréstimodo Atlético, fica de fora.

O Rio Branco também mudou o comando técnico. Jonas Silva caiu e o auxiliar Erminho, o maior ídolo da história recente do Leão da Estradinha, assumiu o cargo. Calcado na experiência como jogador de meio-campo e ataque, Erminho promete não ser defensivo em Foz.

“Precisamos vencer e viemos buscar os três pontos”, avisou. A novidade do time será Baiano, que não enfrentou o Coritiba por problemas no púbis. O treinador também estuda a entrada de Ivan e Ninho, que deram boa movimentação ao Rio Branco contra o Coxa.