Roma – A decisão que o governo italiano tomará hoje sobre a paralisação das atividades futebolísticas no país influirá na trajetória dos times nas competições européias. E a Uefa (União Européia de Associações de Futebol) já avisou que apoiará o que for decidido pelas autoridades italianas.

Todos os campeonatos disputados na Itália estão suspensos desde sexta-feira à noite, quando o policial Filippo Raciti morreu durante um conflito com torcedores do Catania depois da derrota da equipe para o Palermo por 2 a 1. A paralisação é por tempo indeterminado e os jogos só voltarão depois da adoção de medidas rigorosas para tentar acabar com a violência nos estádios e seus arredores.

Pelo calendário da Uefa, no dia 14 o Livorno jogará em casa contra o Espanyol pela Copa da Uefa e no dia 21 haverá duas partidas na Itália pela Copa dos Campeões: Roma e Lyon; Inter e Valencia.

Medidas

Uma das possibilidades é de que a paralisação seja suspensa antes do dia 14. Outras duas soluções estão na pauta: 1 – os jogos serem disputados com portões fechados; 2 – o mando de campo ser invertido e os times italianos fazerem a partida de ida fora de casa.

Qualquer que seja a decisão, será ratificada pela Uefa na reunião marcada para a próxima sexta-feira em Nyon, na Suíça.

Entre as medidas que poderão ser adotadas hoje estão: proibição da entrada de torcedores da equipe visitante e realização das partidas consideradas de alto risco no período da manhã.

Policial teria sido morto por pedrada

Roma – O policial Filippo Raciti não morreu em conseqüência da bomba caseira que explodiu em seu rosto e sim por causa de uma hemorragia interna provocada pelo esmagamento de seu fígado. Os legistas que fizeram a autópsia acreditam que ele foi atingido por uma pedra grande.

?De acordo com os resultados da autópsia, Filippo sofreu um traumatismo abdominal e esmagamento do fígado?, disse neste domingo o promotor Renato Papa, responsável pelo caso, durante uma entrevista coletiva em Catânia.

O promotor disse que ainda não há pistas sobre o assassino de Raciti, mas reconheceu que integrantes do grupo de combate à máfia estão participando das investigações. A polícia não descarta que existam ligações entre os ?ultras? (torcedores violentos) e a máfia siciliana (região onde fica Catania).

O corpo de Raciti será enterrado hoje em Catânia.

Em reunião realizada ontem, o Comitê Olímpico Italiano decidiu pagar os estudos dos dois filhos do policial morto.