Depois da Copa do Mundo, a zaga do Paraná não foi a mesma. Antes, a equipe havia sofrido apenas quatro gols em sete partidas. No entanto, os três jogos após o Mundial mudaram de vez essa situação: foram sete gols sofridos nesse período. Muito dessas falhas defensivas foi relacionada à ausência dos zagueiros Luís Henrique e Irineu, que se machucaram durante a intertemporada.

O primeiro já retornou no jogo passado, mas não evitou a derrota por 3 a 0 para o Brasiliense. Já Irineu volta ao time no sábado, contra o Náutico. Totalmente recuperado e motivado, o zagueiro prevê uma evolução no Tricolor daqui pra frente. “Futebol envolve muita coisa. Teve até fator extracampo prejudicando. Felizmente isso foi acertado”, disse.

Para vencer o Náutico, Irineu aposta no apoio do torcedor paranista, e espera a Vila Capanema lotada no sábado para tentar recolocar o Tricolor no G4: “Temos pela frente o líder e um resultado positivo pode até nos recolocar no G-4. Então, temos que tirar proveito do fato de jogarmos em casa, onde estamos invictos. Esperar o apoio do nosso torcedor do início ao fim da partida. Precisamos da vitória”.

Marcelo Toscano

A situação do atacante Marcelo Toscano deve ser resolvida agora à tarde, ou então pelo menos avançar um pouco. É porque o presidente do Vitória de Guimarães, clube português que deseja a contratação do jogador, chega hoje à Curitiba para se reunir com os dirigentes tricolores. Especula-se que a oferta inicia de 400 mil euros por 50% do passe do atacante tenha sido recusada pelo Paraná, que almejaria uma compensação financeira maior.