Com as credenciais de bicampeão estadual do interior – 2009 com o Nacional e 2010 com o Iraty -, o técnico Gilberto Pereira, 45 anos, é visto como uma das promessas no ofício. Apesar de uma passagem rápida pelo Coritiba no início de 2007, o atual comandante do Azulão também passou com destaque pela extinta Adap, onde foi vice-estadual em 2006, e no Londrina, onde venceu a 1ª fase da Copa Paraná 2007 e saiu do cargo por divergências com dirigentes. Paulista de Mirandópolis, Gilberto Pereira falou por telefone, de Irati, sobre seus planos daqui para a frente.

Paraná Online: Qual o sentimento depois desse bicampeonato do interior?

Gilberto Pereira: É a sensação de uma confirmação pessoal, que tenho condições de trabalhar em qualquer lugar, indiferentemente de equipe, competição e cidade. Quando você é aceito, e é dada condições de  trabalho, a gente consegue.

Paraná Online: Em 2007 você esteve no Coritiba, mas seu trabalho não vingou. O que aconteceu?

GP: Aquela passagem muito rápida que nós tivemos aí em 2007 não serviu pra atrapalhar em lados profissionais, mas em lados pessoais. Mas prefiro não ficar lamentando. Não tenho mágoa, mas acho que poderia ter sido melhor aproveitado. Particularmente, depois daquele episódio fiquei um tempo com problema de autoafirmação. Enfim, não tive oportunidade.

Paraná Online: Teria o sonho de voltar ao Coritiba?

GP: Estou muito melhor preparado para estar em qualquer equipe. Não só aí (em Curitiba), mas em qualquer lugar do Brasil. Estou consciente que não devo nada pra ninguém.

Paraná Online: Você falou muito em condições de trabalho. Teve algum clube onde você não teve essas condições?

GP: No Londrina. Fui campeão do 1º turno da Copa Paraná (2007). Mas o responsável pelo comando do time da época (Adir Leme, atual proprietário do Arapongas e dono do novo Barueri) queria que eu escalasse determinados jogadores. Isso me levou a sair do clube.

Paraná Online: Quais os projetos para o futuro aqui ou fora do país?

GP: Devo novamente ir para fora do Brasil, antes do Iraty iniciar a Série D. Estou indo para a Alemanha, vou aproveitar esse tempo ocioso pra fazer um estágio lá. Apenas ainda não sei o clube. Pode ser o Bayer ou o Stuttgart.

Paraná Online: Então você permanece no Iraty?

GP: Tive propostas de clubes das Séries B e C do Campeonato Brasileiro, mas tenho contrato até dezembro de 2010, com possibilidade de prorrogação, e do mesmo jeito que não gosto que tirem minhas condições de trabalho, não vou abandonar o projeto.

Paraná Online: Qual objetivo na Série D?

GP: Primeiro temos que analisar o campeonato. Não adianta querer ser campeão se você ainda não passou da primeira fase, da segunda, da terceira. O objetivo é chegar o mais longe possível. Tudo no seu devido momento. Também ressalto que iremos jogar a Série D em Irati.