Assim como o seu arquirrival Grêmio, o Inter precisa apenas de um empate, neste domingo, pela última rodada do campeonato, para buscar o que quer. No caso gremista, é uma vaga direta na Libertadores, como vice-campeão brasileiro. Para o Inter, no entanto, a luta é para evitar o rebaixamento para a segunda divisão.

O Inter entra na última rodada como 14º colocado do Brasileirão, com 47 pontos. As chances de rebaixamento são pequenas. Para cair, o time gaúcho precisaria perder para a Ponte Preta neste domingo, às 17 horas, no Estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS), e ainda ver Criciúma, Coritiba e Vasco ganharem.

A possibilidade de rebaixamento fica ainda mais remota ao saber que a Ponte Preta entrará em campo somente com os jogadores reservas – nem mesmo o técnico Jorginho viajou para Caxias do Sul. Afinal, o time de Campinas guarda forças para a disputa da decisão da Sul-Americana, na quarta-feira, contra o Lanús, na Argentina.

Diante da fraca campanha no Brasileirão, o elenco do Inter tem enfrentado brigas internas e está sob a “lei do silêncio” da diretoria do clube, que impede declarações dos atletas à imprensa. É nesse clima que vai a campo, neste domingo, para evitar o vexame do rebaixamento.