O Internacional oficializou nesta terça-feira a saída de Rafael Sóbis. Em comunicado, o clube confirmou que não houve renovação do contrato, mas deixou as portas abertas ao jogador de 34 anos: “Obrigado por nos honrar! Obrigado por nos representar em campo! Obrigado por saber o que é ser colorado! E tu sabes bem: é só um até logo!”

Ídolo do clube gaúcho, Sóbis vinha com situação indefinida no time desde o fim do Brasileirão. Na segunda, sua saída já era dada como certa. Mas já foi confirmada em um post seu nas redes sociais.

“Mais um ciclo com essa camisa colorada chega ao final. Deixo meu agradecimento à direção, comissões técnicas e meus companheiros por essa temporada de muita luta. Aos torcedores, a mensagem de que continuo sendo um de vocês. O Inter segue no meu coração. Até breve!”, escreveu o jogador.

Em seguida, o clube publicou nota oficializando a saída do atleta, que encerrou seu terceiro ciclo com a camisa do Inter. Nas duas passagens anteriores, Sóbis teve participação de protagonista, principalmente nas duas conquistas da Copa Libertadores, em 2006 e 2010. O meia-atacante brilhou até nas finais das duas competições.

Ele também participou da conquista de três títulos estaduais, em 2004, 2005 e 2011. Desta vez, porém, Sóbis não levantou nenhuma taça, em seu retorno ao clube, em janeiro deste ano. O jogador passou mais tempo no banco de reservas do que em campo. Mesmo assim, foi o líder de assistências da equipe na temporada, com nove passes para gol. Foram ainda seis gols e 46 jogos disputados, sendo 22 como titular.

Os números ficam aquém do seu histórico com a camisa colorada. Somando os três ciclos pelo time, foram 214 jogos e 54 gols marcados. Durante a maior parte do ano, Sóbis ficou na reserva, principalmente na reta final do Brasileirão, sob o comando do técnico Zé Ricardo. O jogador havia recebido mais oportunidades quando Odair Hellmann era o treinador do Inter.

“Obrigado, Rafael Sóbis! Só temos que te agradecer e reconhecer tudo que fizestes por nós. Da estreia em Caxias do Sul, quando tinhas apenas 18 anos, passando pela decisão no Morumbi, onde começamos a cravar a bandeira colorada na América com teus dois gols… E na tua volta para casa, em 2010, para repetir o filme, decidir de novo e correr enlouquecidamente com o bandeirão ao redor do gramado do Beira-Rio!”, registrou o clube, em comunicado, referindo-se às finais da Libertadores.

“Ah, Sóbis, a gente gosta e acredita tanto no menino de Erechim, que te convocamos de novo para estar conosco neste 2019. E atendestes, como sempre! Gols e assistências, mas acima de tudo, repetistes toda luta por nós. Seja dentro de campo, no vestiário ou no dia a dia, quando fostes parceiro, companheiro e até professor de muitos que aprenderam contigo! Os sentimentos que levamos são carinho e gratidão.”