Dificilmente a revanche da final da Liga dos Campeões da temporada passada poderia ser mais emocionante. Nesta terça-feira, na Allianz Arena, em Munique, a Inter de Milão, saiu vencendo, levou a virada, mas reverteu o placar no finalzinho e saiu de campo com uma vitória por 3 a 2 sobre o Bayern, resultado que classificou o time italiano às quartas de final da Liga.

Aos 42 minutos do segundo tempo, Breno roubou de Julio Cesar o posto de vilão do jogo. Assim como no 1 a 0 do primeiro jogo, em Milão, o goleiro falhou feito no gol em que o Bayern chegou ao empate em Munique – novamente chute de Robben e gol de Gómez. O zagueiro, porém, foi ainda pior. Quando os italianos pressionavam, deu bobeira em uma bola praticamente dominada, permitiu que Eto’o roubasse a bola e passasse para Pandev bater de primeira e virar o jogo.

 

O JOGO – Precisando reverter a derrota em casa no jogo de ida, a Inter tinha como meta marcar logo um gol e neutralizar a vantagem dos donos da casa. E precisou apenas de três minutos para conseguir. Eto’o recebeu em posição de impedimento – seu corpo estava inclinado à frente do último marcador -, ficou cara a cara com Kraft e tocou na saída do goleiro para abrir o placar.

O Bayern não se assustou e também manteve o planejamento de jogar para frente e fazer valer o mando de campo. O gol saiu naturalmente, mas contou com a ajuda de Julio Cesar. Robben dominou na meia direita e bateu de esquerda. O brasileiro tentou encaixar e deu rebote. Gómez aproveitou, tocou de costas para o gol, encobriu o goleiro e marcou.

O brasileiro se redimiu logo depois, em chute de Gómez, mas não teve o que fazer em uma falha de Ranocchia. O zagueiro cortou errado e deu a bola nos pés de Muller, na grande área, na frente de Julio Cesar. O alemão tocou por cima do goleiro e virou o jogo.

Só dava Bayern, que teve ainda duas ótimas chances de marcar. Aos 34, Ribéry ficou cara a cara com Julio Cesar, mas não teve a tranquilidade de escolher um canto para bater. Chutou em cima do brasileiro e facilitou a defesa. Depois de mais cinco minutos, Gómez foi lançado pela direita, tirou de Julio Cesar e viu a bola chegar devagar à linha do gol, parando ali. Muller e Ranocchia correram pro carrinho, travaram a bola e viram ela bater na trave antes de voltar à pequena área e ser cortada.

Precisando reverter o placar, Leonardo mexeu na equipe no início do segundo tempo e trocou Stankovic por Philippe Coutinho, permitindo assim que o jogo tivesse sete brasileiros em campo – Breno e Luis Gustavo pelo Bayern e ainda Julio César, Maicon, Lúcio e Thiago Motta pela Inter.

Mesmo com a alteração, a Inter não reverteu a superioridade do Bayern, que quase marcou aos 16, em jogada de Ribéry, que teve a conclusão de Gómez e uma excelente defesa de Julio Cesar, se redimindo de vez da falha no primeiro gol. Na jogada seguinte, porém, a Inter marcou. Sneijder recebeu de Eto’o na entrada da área, bateu rasteiro, no canto direito de Kraft, sem chances para o goleiro.

De modo inverso à final da Liga na temporada passada, desta vez foi a Inter quem pressionou e o Bayern quem se limitou a jogar no contra-ataque. Diferentemente do que fizeram os italianos há menos de um ano, os alemães não conseguiram aproveitar as chances criadas em velocidade. Melhor para a Inter, que virou com Pandev, aos 42 minutos.