Autor do gol que deu o título mundial à Espanha no ano passado, Andreas Iniesta voltou a ser decisivo para a sua seleção nesta sexta-feira. O jogo contra o Chile, decidido por ele, tinha caráter amistoso, mas valia a redenção espanhola. Desde a Copa do Mundo a Espanha não havia vencido nenhum adversário tão bem classificado no ranking da Fifa como o Chile (11.º). Por isso a importância desta vitória por 3 a 2 em Saint Gallen, na Suíça.

Depois de ser campeã do mundo, a Espanha só havia vencido adversários de menor expressão. Perdeu para Argentina, Portugal e Itália, além de ter empatado com o México. Só nesta sexta-feira é que voltou a bater um dos 20 melhores times do mundo. A sequência ruim inclusive tirou a Espanha da liderança do ranking da Fifa.

Iniesta, o herói do jogo desta noite, viu do banco de reservas o Chile abrir 2 a 0, com Isla e Vargas, no primeiro tempo. A Espanha jogava muito mal. Na segunda etapa, o barcelonista substituiu Xabi Alonso e mudou a cara da partida. Marcou o primeiro gol espanhol, de fora da área, e deu a assistência para Fàbregas (que substituiu Xavi) fazer o segundo.

O gol da vitória só veio nos acréscimos, num pênalti bastante polêmico de Meneses sobre Arbeloa. Fàbregas bateu, Bravo pegou, mas deu rebote no pé do catalão, que marcou na sobra.

No fim da partida, o palmeirense Valdivia foi expulso e os jogadores dos dois times se desentenderam. Adversários quando seus times brigam, barcelonistas e madrilenhos se juntaram para enfrentar os chilenos também no braço.

OUTROS JOGOS – Sem os “brasileiros” Loco Abreu e Victorino, dispensados para se recuperarem de lesões, o Uruguai venceu a Ucrânia por 3 a 2, nesta sexta-feira, em Metalist. Álvaro González, Lugano e Abel Hernández marcaram os gols uruguaios, que virou para cima dos donos da casa. Yarmolenko e Konoplyanka anotaram os gols ucranianos.

Em Varsóvia, Polônia e México empataram em 1 a 1. Brozek e Chicharito Hernandez marcaram os dois gols do jogo, ainda no primeiro tempo.