A húngara Katinka Hosszu e a espanhola Mireia Belmonte voltaram a brilhar no Mundial de Piscina Curta, em Doha, nesta sexta-feira. Katinka, chamada de “Dama de Ferro”, bateu dois recordes mundiais e faturou duas medalhas de ouro, enquanto Mireia obteve sua quarta vitória em quatro provas disputadas até agora no Catar.

A nadadora da Hungria foi quem mais brilhou nesta sexta, assim como aconteceu na quinta. Ela cravou seu quinto recorde mundial na competição ao se tornar a primeira mulher a nadar abaixo da marca de 2 minutos nos 200 metros costas. Com o tempo de 1min59s23, ela esmagou o recorde anterior, de 2min00s03, que pertencia à norte-americana Missy Franklin.

Katinka, que impusera nova marca também nos 100m costas na quinta, voltou à carga poucas horas depois ao vencer os 100 metros medley. Nesta prova, ela bateu o recorde que pertencia a ela mesma. Com seus 56s70, deixou para trás os 57s45 estabelecidos no ano passado – ela já havia registrado anteriormente 57s25 e 56s86, marcas não homologadas.

O dia, contudo, não foi apenas da húngara. Depois dos seus dois recordes, foi a vez de Mireia se destacar na piscina de Doha. Ela venceu os 400 metros livre com novo recorde do campeonato: 3min55s76 – Katinka não participou da prova, assim como a espanhola não disputara as distâncias em que a húngara brilhou.

Com estes resultados, Katinka e Mireia disputam o título de maior sensação deste Mundial. A húngara chegou Doha embalada por conquistas incríveis na temporada. Ela faturou 68 medalhas nas etapas da Copa do Mundo e impôs cinco recordes mundiais. Na quarta, primeiro dia de competições em Doha, ela batera outros dois recordes.

Mas mostrou cansaço à noite e perdeu os títulos para Mireia, que acabou ofuscando a rival húngara. A espanhola segue com aproveitamento de 100% no Mundial. Venceu todas as quatro provas que disputou, duas delas contra Katinka. Ao todo, ela levou o ouro nos 200 metros borboleta, nos 400 metros medley e nos 800 metros livre, além dos 400 metros livre, vencida nesta sexta.

OUTROS RESULTADOS – Nos 100 metros livre, a holandesa Femke Heemskerk conquistou o ouro com o recorde do campeonato: 51s37. A sueca Sarah Sjostrom, que vencera os 50m borboleta ainda nesta sexta, levou a prata, com 51s39. E a holandesa Ranomi Kromowidjojo levou o bronze, com 51s47.

Nos 100 metros peito, a lituana Ruta Meilutyte fez o novo recorde do campeonato, com 1min02s43, ainda nas semifinais.

No masculino, Peter Bernek garantiu mais uma medalha de ouro para a Hungria. Ele venceu os 400 metros livre com o novo recorde do campeonato: 3min34s32. O britânico James Guy terminou com a prata (3min36s35) e o sérvio Velimir Stjepanovic levou o bronze (3min38s17).

BRASILEIROS – Henrique Rodrigues esteve perto de subir ao pódio nos 200 metros medley ao obter o quarto lugar, com 1min52s63. Os japoneses dominaram o pódio, com uma dobradinha. Kosuke Hagino foi o vencedor da prova (1min50s47), enquanto Daiya Seto levou o bronze (1min51s79). O norte-americano Ryan Lochte ficou com a prata (1min51s31).

Na última prova do dia em Doha, o revezamento 4x100m livre feminino, o quarteto holandês formado por Inge Dekker, Femke Heemskerk, Van del Meer e Ranomi Kromowidjojo venceu com folga e ainda quebrou o recorde mundial com o tempo de 3min26s53. A prata ficou com a equipe dos Estados Unidos, que cronometrou 3min27s70, enquanto o bronze foi faturado pelas italianas com a marca de 3min29s48.

Finalista desta prova, o Brasil ficou apenas em sétimo lugar com Larissa Oliveira, Daynara de Paula, Daiane Oliveira e Alessandra Marchioro, que estabeleceram o novo recorde sul-americano ao terminarem a distância em 3min33s93.