Longe de ser o tenista mais simpático do circuito, o australiano Lleyton Hewitt saiu na frente na briga com o mais querido da torcida, o norte-americano Andre Agassi, para terminar o ano como número 1 do mundo. Hewitt estreou no Masters Cup de Xangai com uma difícil mas importante vitória sobre o campeão de Roland Garros, o espanhol Albert Costa, por 2 sets a 1, parciais de 6/2, 4/6 e 6/3 e agora obriga Agassi a ser campeão do torneio para manter as chances de encerrar 2002 como líder do ranking, aos 32 anos.

Hewitt pode ser o jogador mais novo, a ficar dois anos seguidos como número 1 do mundo, enquanto Agassi quer entrar para a história como o mais velho a encerrar uma temporada na liderança.

A briga para fazer história promete um outro importante capítulo hoje, quando Agassi faz sua estréia diante de sete mil chineses contra o checo Jiri Novak, a partir das 9h (de Brasília), com transmissão pela SporTV. Um pouco antes, às 6h, o jogo dos perdedores de primeira rodada, Marat Safin enfrenta Albert Costa. A última partida do dia terá Hewitt diante de Carlos Moya.

Marat Safin espera repetir o feito de Guga, que perdeu a primeira partida para Agassi e levantou o caneco de 2000 em Lisboa. Ontem, foi surpreendido pelo espanhol Carlos Moya, que aplicou uma vitória de 2 a 0, parciais de 6/4 e 6/5. Enquanto na terceira partida do dia, Roger Federer mostrou todo seu talento e, especialmente, seu eficiente slice de esquerda, para arrasar com Juan Carlos Ferrero por 6/3 e 6/4.