O empate sem gols com o Bragantino na primeira rodada do Campeonato Paulista já foi o suficiente para frustrar parte da torcida do Palmeiras e alguns jogadores. Caso, por exemplo, do zagueiro Henrique, que deixou de lado o discurso sempre ponderado, admitiu que a conturbada gestão do presidente Arnaldo Tirone atrapalhou o time e ainda revelou atraso de salários.

“No tempo que estou aqui, foi uma bagunça só e muita coisa errada aconteceu. Isso preocupa porque mexe com milhões de torcedores. O ambiente é ruim e, por isso, independentemente de quem ganhar, temos de apoiar e desejar boa sorte”, disse o zagueiro, após o jogo no Estádio do Pacaembu.

Henrique ainda admitiu que os direitos de imagem de alguns jogadores estão atrasados. “A parte política interfere no campo, não tem como, porque mexe com a estrutura. Trabalhar só por amor não vale. O Sampaio sempre esteve com a gente, se dedicando em contratações mesmo sem ter dinheiro, não teve férias e outras pessoas não estão nem aí. Espero que ele continue conosco. Estamos com direito de imagem atrasado, mas não se deve falar disso na imprensa. Perguntem para a diretoria”, completou.

Em meio à turbulência, será realizada na noite desta segunda-feira, na Academia de Futebol, a eleição para escolher o novo presidente do Palmeiras. Décio Perin e Paulo Nobre são os candidatos. O vencedor ficará responsável por reerguer o clube.