Paris – Depois de lotar as quadras anexas nas duas primeiras rodadas, Gustavo Kuerten volta hoje ao seu cenário preferido em Roland Garros para o duelo com o número 1 do mundo, Roger Federer. Vai jogar na Phillippe Chatrier, a quadra central, onde por três vezes levantou o troféu dos Mosqueteiros, nos anos de 1997, 2000 e 2001. O jogo será o segundo do dia, logo apás Jennifer Capriati x Elena Bovina, e deve começar por volta das 12h30 de Paris, 7h30 pelo horário de Brasília.

“Esta é a quadra onde guardo minhas melhores recordações”, disse Guga. “Se foi o lugar em que consegui os melhores resultados, acho bom voltar para enfrentar o Federer.”

Nem só de boas recordações Guga quer alimentar suas esperanças de vencer Federer hoje. Apesar dos problemas físicos, o tenista brasileiro acredita muito na possibilidade de uma vitória. “Desde o começo do jogo vou mostrar ao Federer que do outro lado da quadra tem alguém em busca de uma vitória. E não apenas um jogador à espera de um resultado que possa cair do céu.” Para cumprir seu objetivo, Guga promete repetir a tática dos últimos jogos. Desde o início da partida quer partir para o ataque e conta com uma melhor perspectiva para isso. “A cada dia que passa estou me sentindo melhor. Acho que vou estar muito mais confortável em quadra do que no primeiro dia.”

A rotina de Guga nos últimos dias foi mantida, investindo na sua recuperação física. Piscina, massagens, fisioterapia, um treino leve e, novamente, massagens. “É aquela vida dura”, ironizou o tenista, com muito bom humor.

O mesmo clima tranqüilo não vive Roger Federer. Atual número 1 do mundo e campeão dos torneios de Wimbledon e Aberto da Austrália, ele vem se sentindo pressionado para conquistar um título de Grand Slam no saibro, uma superfície que para muitos não é a sua preferida. Contrariando esta tese, há o fato de ele ter vencido há duas semanas o título do Masters Series de Hamburgo.