Uma derrota para ser esquecida: este é o atual objetivo de Gustavo Kuerten, para não ver prejudicada toda a temporada européia de quadras de saibro. Afinal, tinha tudo para superar o sueco Magnus Norman, vencia por 6/1 e 5/2, mas o seu sonho de bela campanha, acabou se transformando em pesadelo ao cair na segunda rodada do Masters Series de Monte Carlo, com inacreditavel derrota para o sueco por 1/6, 7/5 e 6/2.

“Estas coisas acontecem no saibro, mas nunca é bom. Poderia ter uma grande semana, mas cometi um deslize.” Para Guga, o momento decisivo foi no 5 a 3 e saque no segundo set. O tenista disse que perdeu a concentração. “Deveria ter estado mais atento nos dois primeiros pontos dàquele game”, admitiu o tenista. “Faltou concentração, pois não tem essa de já ganhou. Agora é pensar em treinar e manter o foco para os próximos torneios.” O técnico Larri Passos também lamentou bastante o resultado, mas vê como melhor alternativa “explodir esta derrota da cabeça do tenista para não prejucar a temporada.” O treinador disse ainda que um jogo entre Guga e Norman é um clássico, assim como um Gre-Nal ou um Fla-Flu.

Agora, Guga segue para Barcelona com esperanças de melhor campanha e ainda terá pela frente os Masters Series de Roma e Hamburgo, antes de Roland Garros.

Em Monte Carlo, outra surpresa foi a eliminação de David Nalbandian para o italiano Felippo Volandri por 6/2 e 7/6 (8/6); Yevgeny Kafelnikov também perdeu para o finlandês Jarko Nieminen por 3/6, 6/2 e 6/2, enquanto Gaston Gaudio ganhou de Luiz Horna po r 6/4 e 6/1; Fernando Vicente de Rainer Schuettler, por 6/4 e 6/2; Ivan Ljubicic por 6/4 e 6/2; Vince Spadea de Arnaud Clement por 6/7 (7/4), 6/1 e 6/2; Juan Ignacio Chela de Jiri Novak por 6/4 e 6/2; Guillermo Coria de James Blake por 6/0, 6/7 (7/3) e 6 /3; Julien Boutter de Paradorn Srichaphan por 6/4, 4/6 e 6/4; Tommyu Robredo de Julien Benneteau por 6/2 e 6/2.