Se a campanha de Gustavo Kuerten na chave de simples do Masters Series de Paris acabou decepcionado, o mesmo não se pode dizer do desempenho do tenista brasileiro nas duplas. Jogando ao lado do francês Cédric Pioline, Guga fez mais uma vítima de peso ontem e ficou muito perto da final da competição.

Kuerten e Pioline venceram ninguém menos que a dupla número um do mundo, formada pelo canadense Daniel Nestor e pelo bahamense Mark Knowles, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (7/3). Para se ter uma idéia da importância do resultado, Nestor e Knowles já conquistaram seis títulos da modalidade em 2002 e disputaram outras seis finais.

A dupla do brasileiro tem agora outra pedreira pela frente: enfrenta o sueco Jonas Bjorkman e o australiano Todd Woodbridge, os cabeças-de-chave três no evento. Woodbridge é considerado por muitos como o melhor duplista da história e, neste ano, ao lado de Bjorkman, já se sagrou campeão em Wimbledon e em outras duas competições.

Kuerten e Pioline tiveram ontem uma atuação quase perfeita. No primeiro set, contrariando até mesmo as expectativas mais otimistas, quebraram rapidamente o saque de Knowles/Nestor, abrindo uma vantagem que lhe seriam o bastante para fazer 6/4. Na parcial seguinte, repetiram a dose, mas cederam a igualdade quando Guga sacava para fazer 6/4. A definição foi, então, para o tie-break, e Guga e Pioline continuaram jogando bem para fazer 7/3.