O Grêmio depende de uma vitória sobre o Atlético Mineiro, nesta quarta-feira, a partir das 19h30, em Porto Alegre, para evitar que a crise se instale de vez no estádio Olímpico. O time gaúcho é apenas o 16.º colocado no Campeonato Brasileiro, com 13 pontos em 12 jogos, e pode cair para a zona de rebaixamento se sofrer mais uma derrota.

Se vencer, o Grêmio respira. Mas não se livra da obrigação de seguir conquistando pontos nas próximas rodadas para chegar ao final do primeiro turno aliviado. Diante disso, o técnico Julinho Camargo admite que o time precisa colocar os nervos no lugar para voltar a vencer – vem de dois empates e uma derrota.

Julinho Camargo observou que na derrota para o Flamengo por 2 a 0, no sábado passado, os jogadores do Grêmio corriam muito, enquanto os adversários, mais tranquilos, conseguiam cumprir o plano tático em campo. “Temos que trabalhar a pressão psicológica para jogar mais concentrados e sermos mais eficazes”, avaliou.

Para enfrentar o Atlético, o Grêmio não contará com o lateral-direito Gabriel, contundido, o meia Douglas, com amidalite, e o zagueiro Saimon, suspenso. Assim, Mário Fernandes será escalado na lateral, Vilson entra na zaga e Adilson ocupa a posição no meio de campo. E o treinador ainda mantém uma dúvida no ataque: Miralles está escalado, enquanto André Lima e Leandro disputam a outra vaga.