Sem os atacantes Luan e André, o Grêmio parou no Cerro Porteño na noite desta terça-feira, em Assunção. Longe de exibir a mesma força ofensiva dos últimos jogos, o time gaúcho ficou no 0 a 0, no estádio General Pablo Rojas, em seu maior desafio nesta Copa Libertadores até agora.

Com o resultado, o time paraguaio se manteve na liderança do Grupo A da competição, agora com sete pontos. O Grêmio vem logo atrás, com cinco. O uruguaio Defensor Sporting segue em terceiro, agora com quatro pontos, após vencer o Monagas por 3 a 1, mais cedo, nesta terça, em casa. O time venezuelano continua sem pontuar na competição.

O Grêmio entrou em campo sem Luan, com desgaste muscular, e André, não inscrito para a fase de grupos da competição. Jael foi a referência no ataque, com dificuldades em razão das limitações da equipe na armação. A noite foi de pouco brilho para Arthur e Cícero, os principais criadores da equipe.

O JOGO – Diante de um embalado adversário, que vinha de um série de 16 jogos sem derrota em seu reformado estádio, o Grêmio encontrou mais dificuldades do que esperava no primeiro tempo. O atual campeão da Libertadores até conseguiu se defender bem, sem sofrer maiores sustos, e conteve a pressão paraguaia.

No entanto, praticamente abdicou de atacar nos primeiros 45 minutos. Foram apenas duas chances. A primeira, aos 9, resultou em passe de Cícero para Everton, que bateu em cima do goleiro Antony Silva. A segunda foi aos 36, também protagonizado por Everton. O melhor jogador do Gauchão caiu na área e os jogadores do Grêmio pediram pênalti, sem sucesso.

Do outro lado, o Cerro teve presença muito superior no ataque. E o goleiro Marcelo Grohe precisou trabalhar. Foram três boas defesas no primeiro tempo, salvando o Grêmio, que seguia limitado no meio-campo. Com Arthur apagado, Cícero assumiu a responsabilidade pelas tentativas de armar o ataque.

No segundo tempo, o Grêmio tratou de mudar esse panorama ao buscar o ataque logo nos primeiros minutos. Aos 5, Geromel quase abriu o placar em lance de puxeta, após escanteio, ao acertar a trave. Quatro minutos depois, Madson cruzou com perigo e quase mandou direto para as redes. Silva salvou os anfitriões.

O duelo ganhou em equilíbrio, porém com raras chances claras de gol para ambos os lados. Insatisfeito com o rendimento de Cícero, Renato Gaúcho colocou Michel em campo. Depois, trocou Jael por Thonny Anderson. As mudanças não surtiram efeito e o time gaúcho amargou seu segundo empate nesta Libertadores.

O time brasileiro voltará a campo pela competição daqui a duas semanas para enfrentar novamente o Cerro. O duelo, desta vez, será em Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA:

CERRO PORTEÑO 0 x 0 GRÊMIO

CERRO PORTEÑO – Antony Silva; Santiago Arzamendia, Marcos Cáceres, Juan Escobar, Raúl Cáceres; Rodrigo Rojas, Marcelo Palau, Hernán Nóvick (Irrazábal), Jorge Rojas (Nelson Valdez); William Candia e Diego Churín. Técnico: Luis Zubeldía.

GRÊMIO – Marcelo Grohe; Madson, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson, Arthur (Alisson), Ramiro, Cícero (Michel) e Everton; Jael (Thonny Anderson). Técnico: Renato Gaúcho.

CARTÃO AMARELO – Rodrigo Rojas.

ÁRBITRO – Germán Delfino (Argentina).

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (Paraguai).