O Grêmio fez acordo com o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS) nesta quarta-feira e poderá contar com o técnico Renato Gaúcho e com o zagueiro Kannemann para o segundo jogo da final do Campeonato Gaúcho, no domingo. O time de Porto Alegre chegará para a partida decisiva com ampla vantagem sobre o Brasil de Pelotas por ter vencido por 4 a 0 na ida.

Pelo acordo do clube, tanto o treinador quanto o jogador terão que pagar multas, que serão destinadas à instituições de caridade. A decisão foi tomada por um dos auditores do tribunal, em decisão anunciada nesta quarta. Assim, será cancelado o julgamento marcado inicialmente para esta quinta-feira.

Renato Gaúcho e Kannemann haviam sido denunciados pela Procuradoria do TJD-RS após o defensor ter forçado o terceiro cartão amarelo na vitória por 3 a 0 sobre o Avenida, no jogo de ida das semifinais, para poder cumprir suspensão na partida da volta, estando liberado para os dois jogos das finais.

O treinador também foi denunciado porque admitira publicamente que orientara o zagueiro a forçar o cartão. Ele e o defensor foram enquadrados no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que fala em “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva”. E, em caso de condenação no julgamento que deverá ocorrer na próxima semana, eles podem receber de uma a seis partidas de suspensão.

Com a liberação do treinador e do zagueiro, o Grêmio deverá ter time praticamente completo para o segundo jogo da final do Estadual, às 16 horas de domingo, no estádio Bento Freitas, em Pelotas. O time da capital espera encerrar um jejum de títulos do Gaúcho que já dura desde 2010.