Esta tarde serão realizados onze páreos no hipódromo da Gávea, figurando como destaque a última prova da Tríplice Coroa, promovida pelo Jockey Club Brasileiro, com a participação de oito potrancas de dois anos de idade hípica. Como as duas provas foram vencidas por diferentes potrancas, a exemplo do que ocorreu em Cidade Jardim, este ano não haverá Tríplice Coroada do turfe carioca.

Mesmo assim trata-se de uma das provas principais provas do turfe brasileiro, especialmente porque será em homenagem a uma das grandes figuras desse esporte, que em vida muito fez pelo turfe, com seus animais abrilhantando as reuniões da Gávea.

As vencedoras das duas primeiras provas da Coroa, Que Fuerza e Imortelle, não foram inscritas, mas mesmo assim a tradicional corrida do turfe carioca é aguardada com grande interesse pelos aficionados do turfe. Sin Bandera e Amparito são apontadas como favoritas, enquanto Fula?s One, única paranaense inscrita, com fraco retrospecto não figura entre as mais cotadas.

Outra importante corrida de hoje, no Rio de Janeiro, é o Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto de Castro Júnior, naturalmente pela importância da homenagem, apresenta-se com apenas cinco potros de três anos, destacando-se como favorito Ali Defús, um crioulo do Haras São Francesco, que vem de duas vitórias.

Apresentamos, a seguir, o campo das duas corridas mais importantes de hoje, no Rio de Janeiro.

GP Zélia Peixoto de Castro (Grupo 1) – 2.400 metros -Grama – R$ 30 mil

1 – 1 La Lucrezia Borgia – R.S    1-56

2 – Quanta Classe – C. Lavor    2-56

3 – Quadriglia – C.G. Neto    3-56

4 – Realce – J. Leme    4-56

5 – Indianette – M. Cardoso    5-56

6 – Sheri Khan – A. Motta    6-56

7 – Faz de Conta – B. Reis    7-56

8 – La Itabanera – T.J. Pereira    8-56

***

GP Antonio Joaquim Peixoto de Castro Júnior (Grupo 2) -2.000 – Grama – R$ 18 mil

1 – Quebra Panela – J. Leme    1-59

2 – Desejado Máximo – A.G    2-59

3 – Eco Challenger – C. Lavor    3-59

4 – Ali Defus – A Mota    4-59