Os principais destaques no Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo, ontem, na pista do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, foram os atletas dos saltos – prova de antigas glórias para o Brasil, com triplistas como João do Pulo, Adhemar Ferreira da Silva e Nélson Prudêncio. Maurren Higa Maggi ficou com a medalha de ouro no salto em distância, com 6,80 m, e Jadel Gregório foi o campeão no salto triplo, com 16,89 m.

Para os Jogos Pan-Americanos, apenas dois atletas conseguiram índices, diante de um público de 41.125 pessoas, recorde na América do Sul. E um deles também foi um saltador. Jessé Farias de Lima, no salto em altura, com 2,25 m, ganhou a medalha de prata e a vaga para ir ao pan de São Domingos, em agosto. A prova foi vencida por Germaine Mason, da Jamaica, com 2,31 m.

A outra vaga na equipe brasileira que vai ao pan foi obtida nos 400 metros com barreira, por Lucimar Teodoro, quarta colocada na prova, com 56s21. A campeã da distância foi a norte-americana Sandra Glover, com 54s69.

Com um calor de 33 graus, umidade realtiva do ar de 67%, vento rondando de todos os lados e atletas ainda em início de temporada, os velocistas brasileiros – e mesmo os estrangeiros – deixaram a pista frustrados com os resultados. “Os tempos foram apenas regulares. Ainda teremos de evoluir bastante se quisermos medalhas no pan, já que países do Caribe, Estados Unidos e Jamaica são muito fortes em provas de velocidade”, afirmou o técnico Jayme Neto Jr.

Os melhores velocistas do Brasil no dia foram Vicente Lenílson de Lima, terceiro colocado nos 100 m, com 10s38, e quarto nos 200 m, com 20s62, além de Cláudio Roberto Souza, terceiro nos 200m, com 20s60.

“O Vicente e o Cláudio estão bem e o juvenil Jorge Célio da Rocha Sena, de 18 anos, surpreendeu, ao fazer 20s63 (foi quinto) nos 200 m”, avaliou Jayme Neto Jr.

A prova dos 100 metros foi ganha pelo norte-americano Joshua Johnson, que correu a distância em 10s20. “Foi um pouco abaixo do que eu esperava”, comentou o atleta, que já fez a prova em 9s95. Dominic Demeritte, de Bahamas, ganhou os 200 metros, com 20s35.

O triplista Jadel Gregório venceu o duelo contra o norte-americano Kenta Bell, para quem havia perdido a prova do ano passado, por um centímetro. Dessa vez, o brasileiro de 22 anos, 2,02 m e 105 quilos, foi quem derrotou por um centímetro o cubano Francis Yoandri Betanzos, com 16,88 m. Bell foi o terceiro.

Jadel disse que saltou menos do que esperava e que tentará melhorar seu resultado em Osaka, no Japão, sua próxima prova na temporada. Embora tenha sido tratado como um ídolo pelo público de Belém, ele acha que falta muito ainda para atingir tal condição. Sua meta na carreira é quebrar o recorde de João do Pulo, de 17,89 – a melhor marca pessoal de Jadel é de 17,13 m.

Maurren, de 26 anos, também avaliou que poderia ter saltado 7 metros ontem. Após a volta olímpica, enrolada nas bandeiras do Brasil e do Pará, ela disse que está otimista em relação à temporada e que espera “saltar longe em todas as competições”, ser bicampeã nos Jogos Pan-Americanos e ir ao pódio no mundial de Paris.

O pernambucano Jessé Farias de Lima, especialista no salto em altura, que competiu com fita crepe cobrindo a marca Olympikus do uniforme – “Perdemos o patrocínio”, explicou o atleta -, comemorou muito o índice para o pan. Desde que mudou para São Caetano do Sul (SP), há dois anos, ele conta com uma boa infra-estrutura e considera que isso o ajudou a evoluir na prova.

Hudson Santos de Souza conseguiu outra medalha de ouro para o Brasil, nos 1.500 metros, com 3m38s27, mas não obteve o índice para o pan como desejava. As outras vitórias de brasileiros foram nos 400 m, com Anderson Jorge Oliveira dos Santos (46s19) e Geisa Aparecida Muniz Coutinho (51s86), e nos 200 m, com Lucima Aparecida de Moura (23s51).

Outros resultados: salto com vara – José Francisco Nava (CHI), 5,10 m; 100 m com barreiras – Lacena Golding-Clarke (JAM) 13s01; arremesso do peso – Yumisleydi Cumbá (CUB), 18,44 m; 110 m com barreiras – Mark Crear (EUA), 13s63; 3.000 m – Valéria Lorena Rodriguez (ARG), 9m20s16; lançamento do disco – Aretha Hill (EUA), 62,55 m; 400 m com barreiras – Ian Weakley (JAM), 49s16; 800 m – Joseph Mwengi Mutua (QUE), 1m45s63.